Judiciário na Escola vai discutir bullying e alcoolismo na PB

Magistrados paraibanos, que atuam nas Varas da Infância e da Juventude, vão visitar, de 18 a 22 de outubro, as escolas públicas de suas comarcas para tratar de temas como bullying e alcoolismo.

“O Judiciário vai à Escola” é uma iniciativa da Coordenadoria da Infância e da Juventude (Coinju) do Tribunal de Justiça da Paraíba e faz parte do programa “Semana do Juiz na Escola”, articulado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Dentre os diversos temas sugeridos pelo Conselho, como violência escolar em todos os seus aspectos, combate às drogas, evasão escolar, a Coinju vai priorizar bullying (violência física ou psicológica, intencional e repetida, contra pessoas incapazes de se defender) e alcoolismo, por serem situações presentes e recorrentes nas escolas do estado. Será disponibilizado aos juízes todo material necessário para a execução das palestras: folders, cartazes e CD´s com slides.

A juíza auxiliar da Coinju, Graziela Queiroga Gadelha de Sousa, disse que “ações desse tipo, incentivadas pelo CNJ, buscam estimular na magistratura nacional o olhar social que o juiz deve ter com os seus jurisdicionados”.

Ela acrescentou que a iniciativa aproxima a Justiça da comunidade, pois os juízes vão falar diretamente, numa linguagem acessível ao público criança e adolescente que vem sofrendo sérios ataques da sociedade no sentido de se desvirtuarem de suas formações e valores naturais. “Vamos falar, por exemplo, quais são as estratégias de combate ao bullying, as suas causas, as manifestações e consequências”.

Sobre o alcoolismo, Graziela Queiroga disse que serão abordados os seguintes assuntos: o que é o alcoolismo; a violência causada pelo uso abusivo do álcool; pesquisas com dados de acidentes, número de vitimas e mortes; como se sente o usuário de drogas, entre outros.

As palestras mostrarão, ainda, estatísticas quanto ao seu uso, mostrando que 48,3 % das pessoas entre 12 e 17 anos já usaram álcool na vida e que 11,% da população brasileira é dependente. Além de alertar para o consumo de álcool que cresceu 154%, entre 1961 e 2000, ficando o Brasil no 25° país do mundo que mais consome.
Fonte:Conselho Nacional de Justiça/ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)