Instituições alertam sobre influência dos pais que bebem sobre os filhos

A organização britânica Alcohol Concern e a Sociedade da Criança sugerem mais formação de assistentes sociais com especialidade na forma de lidar com o abuso de álcool dentro das famílias.

Um relatório estima que 2,6 milhões de crianças vivem com um dos pais, de cujo consumo de álcool poderia levar ao desprezo. A informação foi publicada no site da “BBC News”.

Um órgão que representa os assistentes sociais disse que o álcool causa mais problemas do que as drogas.

Segundo uma pesquisa realizada pela Alcohol Concern em julho, a maioria dos britânicos acredita que o hábito dos pais que bebem muito têm um impacto negativo sobre as crianças –muitos acham que é tão prejudicial quanto o abuso de drogas.

No entanto, as duas instituições de caridade dizem que a escala do problema não é plenamente reconhecida.

Os pais dos 2,6 milhões de crianças são definidos como “perigosos” bebedores –seja por causa da enorme quantidade ou frequência do consumo, ou porque mesmo em menor nível, o hábito leva a outros problemas, tais como não ser capaz de levantar da cama de manhã ou cumprir deveres.

Entre as 2,6 milhões de crianças, 700.000 estão sendo criadas por um dos pais que faz uso abusivo do álcool.
Autor:
OBID Fonte: Folha Online