Audiência pública sobre tabaco burley é adiada para início de dezembro

Após a aprovação das diretrizes dos artigos 9 e 10 da Convenção-Quadro, que prevê a proibição ou restrição do uso de aditivos nos produtos de tabaco, a Comissão de Agricultura da Câmara dos Deputados decidiu adiar para o dia 1 de dezembro uma audiência pública para discutir a situação dos produtores do fumo burley.

Matérias pautadas pela Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra) e pelo Sindicato da Indústria do Tabaco (SindiTabaco) alardearam que mais de 50 mil famílias produtoras desse tipo de tabaco serão duramente afetadas quando as recomendações do artigo 9 e 10 forem implementadas.

Esse tipo de tabaco, por ser curado ao natural, é o que permite com mais facilidade estas adições, por manter intactos os açúcares, que são extraídos em outras variedades de fumos curadas artificialmente em estufas, e é o que facilita as misturas dos diversos tipos de fumo. No entanto, não há qualquer previsão na Convenção Quadro para proibi-lo, mas sim evitar a adição de sabores ao tabaco.
Fonte:INCA – Instituto Nacional de Câncer, Ministério da Saúde