87% dos pacientes do programa antitabagista de Resende abandonaram vício

Diário do Vale
A Secretaria Municipal de Saúde divulgou um relatório que aponta resultados positivos obtidos pelo “Programa de Controle do Tabagismo”, que foi implantado em abril deste ano pela prefeitura.

Dos 316 pacientes atendidos no período de abril a setembro, 87% dos usuários conseguiram abandonar o vício, o que corresponde a 275 pacientes. Em outubro, foram abertos novos grupos, os quais atendem hoje mais 168 pacientes, que ainda se encontram em andamento.

O programa acontece atualmente em 13 unidades de saúde da prefeitura, nas comunidades Vila Vicentina/Santo Amaro, Fazenda da Barra I, Fazenda da Barra II, Fazenda da Barra III, Cidade Alegria, Manejo, Cabral, Engenheiro Passos, Baixada Olaria, Itapuca e Visconde de Mauá, além de o Hospital de Emergência e dois grupos existentes no Centro Administrativo da prefeitura. Em janeiro de 2011, o programa passará a ser realizado também nos postos de saúde dos bairros Novo Surubi, Surubi Velho, Morro do Cruzeiro, São Caetano, Jardim Primavera e na Santa Casa.

Para o prefeito José Rechuan (DEM), os dados apresentados pelo relatório mostram a importância dos investimentos feitos pela atual administração municipal na área da saúde preventiva. Segundo ele, as ações desenvolvidas nesse sentido contribuem de forma direta para aumentar as condições de uma vida saudável para os moradores de Resende.

– Na área de saúde, não estamos medindo esforços com o objetivo de melhorar cada vez mais a qualidade dos serviços à população do nosso município. Paralelo ao trabalho para construir e reformar os postos de saúde, aumentar a frota de veículos, ampliar o quadro de profissionais e melhorar o atendimento especializado, estamos priorizando também o trabalho preventivo. O programa está inserido nessa linha de trabalho. É gratificante para a administração municipal verificar que estamos oferecendo a esses pacientes a oportunidade de se libertar do vício do cigarro. Por meio desse programa, a população pode perceber o quanto estamos realmente comprometidos em trabalhar pelo bem-estar da nossa população – disse Rechuan.

Como funciona o projeto

Qualquer pessoa interessada em parar de fumar pode procurar as unidades para se inscrever. Cada grupo disponibiliza 15 vagas. O tratamento, que acontece em três meses, é totalmente gratuito. Além das sessões de terapia, os cidadãos inscritos recebem adesivos e gomas de mascar, que são repositores de nicotina. Dependendo da necessidade, o médico responsável pelo atendimento faz também a prescrição de medicamento, visando diminuir o nível de ansiedade do paciente e aliviar os sintomas da síndrome de abstinência.

– O programa segue as normas do Ministério da Saúde, que propõe um tratamento individual, com abordagem em grupo. Com os adesivos e as gomas, a nicotina é retirada gradativamente do organismo do paciente – explicou a coordenadora do programa em Resende, a psicóloga Sonia Garcia.

Segundo a psicóloga, na primeira sessão, as pessoas interessadas em abandonar o vício passam por uma avaliação do grau de dependência. De acordo com o resultado dessa sessão inicial, é proposto um tratamento específico para aquele paciente. Após o período de três meses, os pacientes atendidos continuam sendo acompanhados pelo programa.
Fonte:ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)