Primeiro dia da lei antifumo em Caxias do Sul foi marcado por dúvidas

Pioneiro
Secretaria do Urbanismo recebeu cerca de 40 ligações para esclarecimentos.

“É proibido fumar”, dizem os avisos que comerciantes e empresários de Caxias do Sul estão espalhando nesta segunda-feira, quando a lei antifumo começa a vigorar em espaços fechados de uso coletivo. Apesar da maioria dos estabelecimentos divulgar a proibição, o primeiro dia de aplicação da lei mostrou que a população ainda está se adaptando. A fiscalização da Secretaria do Urbanismo não recebeu denúncia alguma, mas recebeu cerca de 40 ligações para esclarecimentos.

Uma dúvida ainda não pode ser solucionada: é permitido fumar embaixo de marquises? De acordo com o secretário Francisco Spiandorello, a lei dá margem para interpretações.

— A lei só diz que pode fumar em calçadas e lugares abertos. Ainda temos de definir essa questão — promete Spiandorello.

Um dos espaços coletivos mais movimentados e com problemas para se adaptar à nova lei é a Estação Rodoviária. Nesta segunda, uma faxineira limpava os cinzeiros do saguão principal e não havia recebido orientação para retirá-los. O espaço é fechado. A atendente da lancheria na sala de espera da rodoviária, Neuza Casagrande, também não sabia o que dizer para os fumantes impedidos de acender um cigarro na sala fechada:

— Também sou fumante e não sei se podemos fumar ali fora, na área coberta.

Apesar da lei antifumo ter começado nesta segunda, a proibição do cigarro não é novidade na cidade. O presidente do Sindicato de Hoteis, Restaurantes, Bares e Similares da Região Uva e Vinho, João Antonio Leidens, diz que a maioria dos estabelecimentos já havia abolido o fumo.

— É muito difícil você ver alguém em restaurante fumando. Mas estamos discutindo essa lei há bastante tempo e foi deixado uma brecha para se fazer uma ala totalmente fechada e com exaustão. Isso deve acontecer mais em bares — ressalta o presidente do sindicato.

Desde quinta-feira, a Pepsi Club distribui pulseiras para fumantes acessarem um espaço ao ar livre, sem ter de sair da casa.

— Em janeiro, quando voltarmos das férias, pretendemos inaugurar um fumódromo específico. A ideia é que seja aberto, mas coberto em caso de chuva — explica o promoter, Alexandro Tedesco Rigon.

O proprietário da lancheria Az de Ouro, na Rua Feijó Junior, Fernando Schaefer aproveitou o dia para orientar clientes.

— Eles vão entrando com cigarro, e eu digo para fumarem lá fora. Ainda tem resistência, tem gente que diz que vai comprar em outro lugar, mas meu prejuízo era maior antes. Eu deixava de servir muito café da manhã por causa do cigarro — conta o dono da lancheria.

O pintor Elisandro Rodrigues, 33 anos, não se importou de tomar o habitual café depois do almoço sem a companhia do cigarro. O fumante acredita que a nova lei pode ser um estímulo para abandonar o vício.

— Ficou melhor ainda para apreciar o gosto do café. Se quero fumar, vou lá fora. Lei é lei. Só não vou deixar de tomar meu cafezinho por causa disso — disse o fumante.

Para fiscalizar estabelecimentos e pessoas que descumprem a lei antifumo, denuncie pelo e-mail sosfumo@caxias.rs.gov.br, em qualquer horário, ou pelo Alô, Caxias (54) 3218.6001, de segunda a sexta, em horário comercial. A multa para fumantes e comerciantes é de R$ 581,10.
Fonte:ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)