Usuários de drogas não precisam ir para a periferia ou Entorno para satisfazer o vício

Jornal de Brasília
Os usuários de drogas que vivem em Brasília não precisam ir longe para abastecer o vício.

Perto de casa sempre há um fornecedor pronto para atendê-los. Eles trazem os entorpecentes em pequenas quantidades, o que acaba dificultando o trabalho da polícia. Quando um é preso, outro logo toma o lugar.

Para o delegado-adjunto da 5ª Delegacia de Polícia, Edson Medina, o tráfico de drogas no DF é tão difícil de ser combatido quanto no Rio de Janeiro. Porém, no DF, o combate é menos arriscado. Segundo ele, por não existirem na área central de Brasília as chamadas bocas de fumo, a droga já chega fragmentada, e o trabalho de formiguinha exercido pelos traficantes exige o mesmo trabalho dos policiais.

Vários aviõezinhos que prestam serviço aos grandes traficantes distribuem a droga a qualquer hora do dia e da noite, por todo o Plano Piloto e por todo o Distrito Federal.

“Moro na Rodoviária do Plano Piloto desde os 11 anos. Nessa idade que eu comecei a usar crack. Tem muito tempo que não saio daqui. A gente pede esmola no sinal para comprar a pedra e pede lanche quando aparece a fome. Não preciso sair daqui para conseguir droga e comida”, relatou um morador de rua, de apenas 15 anos, que não se preocupa em esconder o consumo da droga das pessoas que circulam em volta.
Fonte:ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)