A tendência ao alcoolismo aumenta o risco de obesidade

Pessoas com histórico familiar de alcoolismo compensam o impulso de beber comendo alimentos calóricos, segundo pesquisa da Universidade de Washington (EUA). O trabalho foi publicado na revista “Archives of General Psychiatry”.

“Muito do que comemos hoje tem mais calorias do que os alimentos dos anos 70 e 80, e contém certos tipos de calorias, em especial uma combinação de açúcar, sal e gordura, que estimulam mais os centros de recompensa do cérebro”, afirmou Richard Grucza, médico que participou do estudo.

A equipe de Grucza comparou a evolução dos vícios e da obesidade em pesquisas nacionais feitas nos EUA em 1991 e 1992 e em 2001 e 2002, envolvendo quase 80 mil pessoas.

Eles descobriram que, em 2001 e 2002, mulheres com histórico familiar de alcoolismo tinham 49% mais risco de serem obesas do que pessoas livres dessa tendência. O mesmo foi observado nos homens, em um grau menor.

A compulsão por comida ligada ao alcoolismo pode ajudar a explicar os índices crescentes de obesidade nos EUA, que dobraram de 15% da população no fim dos anos 70 para 33% em 2004.

Grucza afirma que o estudo sugere que o alcoolismo e a obesidade têm uma hereditariedade cruzada, assim como acontece com alcoolismo e dependência química.
Autor:
OBID Fonte: Folha de São Paulo