Para psicóloga, álcool é questão de saúde pública

JC Net
Maria Orlene Daré, coordenadora do Conselho Regional de Psicologia (CRP) e do Conselho Municipal Antidrogas, afirma que o consumo de álcool por adolescentes é a “porta de entrada” para outras drogas, inclusive ilícitas, e deve ser tratado como um problema de saúde pública.

Orlene explica que a adolescência é uma fase de formação do indivíduo, suscetível à influência das propagandas, que costumam associar a bebida a momentos de lazer, beleza, sucesso e conquistas.

“O CRP apoia a campanha para proibição de publicidade dessas bebidas, da mesma forma como ocorreu com o cigarro, garantindo resultados expressivos na queda do consumo”, aponta.

A psicóloga aponta, porém, que a iniciação no consumo de bebidas ocorre dentro de casa, baseada no modelo de comportamento dos próprios familiares. “Esse processo é acelerado e toma proporções ainda maiores nos grupos sociais”, constata.

Lucas Pimentel de Oliveira, promotor da Infância e Juventude, confirma os prejuízos ao adolescente e à sociedade. “Cai o rendimento nos estudos e no trabalho, afeta o convívio familiar e torna o indivíduo mais vulnerável a cometer atos inflacionais”, relata.
Fonte:ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)