Índio Karajá morre de cirrose. Cacique diz que alcoolismo continua sem controle

Expresso MT
O procurador da República no Estado de Tocantins, Álvaro Manzano é contra a proibição da venda de bebida alcoólica aos índios.

Quando da realização de seminário em São Félix do Araguaia (MT), em outubro passado, com a presença de autoridades e indígenas dos dois estados, Manzano foi contra o que ele chamou de discriminação e defendeu auto sustentabilidade das aldeias com apoio de toda a sociedade.

“Considerados cidadãos brasileiros com todos os direitos e deveres desde a promulgação da Constituição de 1988, os índios têm o direito de comprar bebida alcoólica, substância lícita e de acesso a qualquer pessoa maior de 18 anos. As situações problemas devem ser tratadas, com iniciativas como o seminário, mas a proibição da venda de álcool aos índios é uma opção altamente discriminatória e não deve ser cogitada”, declarou à época o procurador.

Para Manzano, é necessário que os índios assumam o protagonismo de suas vidas, o que inclui a sustentabilidade das aldeias e também a capacidade de lidar com problemas como o abuso de álcool. “O que estamos fazendo é uma forma de contribuir para isso, sem discriminar”, explicou o procurador.
Fonte:ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)