Oxi, droga mais letal que crack, chega ao Piauí e vicia adolescentes

Cidade Verde
GAV e Seduc encontraram caso de família inteira com vício em crack. Preocupação agora é com proliferação do oxi.

O Grupo dos Amigos da Vida (GAV) confirmou hoje em entrevista a TV Cidade Verde que a Oxi, a nova droga mais letal que o crack, já chegou em Teresina. Outra novidade presenciada pelo grupo em parceria com a Secretaria Estadual de Educação foi uma pesquisa que constatou a existência de 2.714 crianças dependentes de drogas – crack, maconha, cocaína e a Oxi – em Teresina. A pesquisa foi realizada com pessoas com idades entre 11 e 17 anos.

Segundo o coordenador do GAV, Miranda Neto, a pesquisa também constatou a existência de uma família em que o pai, a mãe, a avó e os filhos de 6, 10 e 11 anos estão todos dependentes de crack.

Os órgãos que cuidam de dependentes em Teresina são os centros comunitários. “Estão todos lotados. Vamos fazer uma reunião na próxima semana para ver uma solução. Precisamos agora partir para o combate. A sociedade culpa os gestores, mas a família precisa abraçar essas crianças, antes que a droga chegue”, disse Miranda Neto, em entrevista ao Jornal do Piauí.

A maior preocupação agora, segundo o coordenador, é a chegada da oxi, nova droga mais letal do que o crack. A Polícia Rodoviária Federal alertou, no início do segundo semestre do ano passado, para a chegada da droga no Estado.

O coordenador da Fazenda da Paz, Célio Barbosa, também já afirmou que há muitos dependentes de oxi sendo cuidados no local.

As famílias que quiserem procurar ajuda podem ligar para a sede do GAV, no telefone 3231-3556.
Fonte:ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)