´Descriminalização da maconha é um erro´

Jornal do Commercio
A lei atual já avançou bastante nesse particular. Hoje, o usuário flagrado consumindo drogas responde apenas a um termo circunstanciado de ocorrência.

Temos uma legislação que protege o dependente químico e pune o traficante. Todos os países que descriminalizaram as drogas não obtiveram bons resultados e agora estão repensando a medida. Falando especificamente da maconha, há uma tendência a se defender a descriminalização porque seria uma droga ´leve´. No entanto, a imensa maioria dos usuários de crack, por exemplo, começou a utilizar entorpecentes a partir da maconha. Os malefícios da maconha aos usuários são tão evidentes que a Organização Mundial da Saúde mantém a droga no rol de substâncias proibidas. Do ponto de vista policial, a descriminalização pode favorecer a atuação dos traficantes. Os criminosos vão passar a recrutar vários transportadores com porções de drogas dentro das quantidades permitidas e burlar a lei. Isso aumentará o tráfico. Teremos um boom que vai causar um impacto terrível na nossa sociedade. Acredito que a descriminalização é um erro que pode trazer consequências graves para o País como as que já são enfrentadas por causa do álcool e do cigarro. São dois exemplos de drogas com acesso livre cujos problemas decorrentes fazem os cofres públicos gastarem bilhões de reais por ano em tratamento de dependentes e com danos causados por acidentes.

Wilson Damázio é delegado da Polícia Federal e secretário de Defesa Social.
Fonte:ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)