Consumo de energético pode estar relacionado ao alcoolismo e outras drogas

Isaúde.net
Pesquisadores alertam que a associação álcool e bebidas cafeinadas pode ser uma ameaça aos indivíduos e à saúde pública.

Bebidas energéticas não alcoólicas podem trazer riscos para a saúde. Pesquisadores da Escola de Saúde Pública da Universidade de Maryland e da Faculdade de Medicina da Universidade Wake Forest, nos Estados Unidos, afirmam que as bebidas energéticas cafeinadas podem estar associadas à dependência de álcool e outras drogas.

Os pesquisadores alertam que a associação álcool e bebidas podem ser uma ameaça aos indivíduos e à saúde pública. Eles recomendam que as embalagens recebam uma nova rotulagem, com informações mais claras sobre os riscos do produto.

“A ação recente de indisponibilizar bebidas energéticas pré-misturadas ao álcool foi um primeiro passo importante, mas ações continuadas são necessárias”, disse Amelia Arria, pesquisadora da Universidade de Maryland, que dirige o Centro de Saúde e Desenvolvimento de Jovens Adultos. “As pessoas podem ainda misturar essas bebidas energéticas cafeinadas com álcool por conta própria. Além disso, ainda não existe uma regulamentação no que diz respeito ao nível de cafeína presente em uma bebida energética”.

Arria e Mary Claire O´Brien, professora associada de medicina de emergência da Universidade Wake Forest, começaram a alertar sobre os riscos das bebidas alcoólicas de energia a partir de 2009, culminando em novembro passado em ações contra o produto pela Food and Drug Administration (FDA) e o Federal Trade Commission.

Riscos para a saúde

“A prática da mistura de energéticos com álcool – que é mais generalizada do que geralmente reconhecida – tem sido associada de forma consistente ao consumo exagerado de álcool e posterior graves consequências, como agressão sexual e dirigir embriagado. Pesquisas mostram que indivíduos que combinam álcool com bebidas energéticas subestimam seu verdadeiro nível de comprometimento”.

A cafeína pode ainda ter efeitos adversos na saúde de indivíduos suscetíveis. “A consciência da saúde pública em relação aos níveis elevados de consumo de cafeína, não importa qual a fonte de bebidas, em indivíduos sensíveis se justifica”, escrevem as pesquisadoras.

O consumo de energéticos parece estar associado à dependência de álcool e outras drogas. Mais pesquisas são necessárias para esclarecer os possíveis mecanismos subjacentes às associações que têm sido observadas em diversas pesquisas.

O estudo recomenda medidas proativas para proteger a saúde pública. Os profissionais de saúde devem informar seus pacientes sobre os riscos do consumo de bebidas energéticas cafeinadas;os fabricantes deveriam alertar os consumidores sobre os riscos da mistura de seus produtos com álcool; além disso, as agências reguladoras devem exigir que os fabricantes de bebidas energéticas para divulgar conteúdo de cafeína e avisos adequados sobre os riscos nos rótulos.
Fonte:ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)