Frente de Combate ao Crack

Diário do Povo
Na esteira de medidas já anunciadas pelo Executivo e pelo Judiciário, o Poder Legislativo do Estado também aderiu ao processo de enfrentamento ao crack e às demais drogas, cujos efeitos devastadores nas famílias piauienses merecem uma reação coletiva – e urgente – das instituições públicas e privadas e da sociedade civil.

O posicionamento da Assembleia Legislativa será formalizado com a criação, composição e instalação da Frente Parlamentar de Combate ao Crack e drogas afins, nos termos de proposta de-fendida na última quinta-feira pela advogada e deputada Margareth Coelho. Consubstanciada em requerimento unanimemente aprovada, a proposição da deputada do Partido Popular já conta com o apoio de 21 dos 30 parlamentares estaduais, sendo que todos os que firmarem os respectivos termos de adesão, nos próximos 120 dias, serão membros fundadores da Frente Parlamentar – cuja natureza jurídica é de uma associação sem fins lucrativos, que funcionará por tempo indeterminado, com sede e foro no Palácio Petrônio Portella, em Teresina. Justificando a sua proposta, Margareth Coelho fez ver que o índice de dependentes químicos no Brasil vem se elevando a cada dia, podendo ser considerado, hoje, um dos maiores desafios para os atuais gestores públicos e para a sociedade em geral. Dentre as drogas mais utilizadas – disse ela – o crack tem se destacado pela sua agressividade e pelo poder devastador que provoca no usuário, na família e na sociedade, concorrendo para o aumento da criminalidade.
Fonte:ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)