Especialistas comentam influência dos pais para que jovens consumam álcool

Zero Hora
Para Tiba e D´Urso, muitos casos têm início por descuido dos pais.

Em palestra realizada durante o 7º CEO´s Family Workshop, no Guarujá, o médico psiquiatra Içami Tiba e o presidente da OAB-SP Luiz D´Urso fizeram um alerta aos empresários e suas famílias: os jovens estão começando a beber cada vez mais cedo e, em diversos casos, esse hábito é despertado dentro de casa.

Sob o título “Os limites e riscos do álcool na vida dos jovens”, o debate abordou os principais fatores que estimulam o alcoolismo na juventude e trouxe dicas de como os pais podem agir para evitar essa situação.

Para Içami Tiba, além de o ambiente familiar servir de estímulo para que o jovem inicie o consumo de bebidas alcóolicas, esse cenário também é atribuído às necessidades tradicionais da adolescência de inserir-se em um grupo e serem notados.

— Aliado a isso, existe o que chamamos de “onipotência juvenil”, onde o jovem considera que nada de ruim irá lhe acontecer — observou.

Luiz D´Urso apontou o diálogo entre a família como a mais importante ferramenta para alertar os jovens e conscientizá-los sobre os riscos do álcool. Para ele, os jovens não tem o grau de alerta e discernimento que um adulto e, por isso mesmo, a conversa entre pais e filhos deve ser sempre franca e constante.

— Ou os pais assumem a responsabilidade sob seus filhos, ou eles não poderão cobrar que a sociedade os eduque — defendeu D´Urso.

— E vale lembrar que o alcoolismo, além ser um problema de saúde, também pode gerar crimes — completou.

Novos hábitos

Segundo Içami Tiba, a cerveja é a bebida mais consumida pelos adolescentes e serve de passaporte para outros vícios, como o consumo de drogas. Ele também pontuou que um novo hábito está contribuindo para o aumento de números de jovens dependentes de álcool: o famoso “esquenta”, onde grupos de adolescentes se reúnem para beber antes de chegarem a uma festa, por exemplo.

— Com isso, eles acabam ingerindo uma grande quantidade de álcool em uma mesma noite — alertou o médico.

O presidente da OAB-SP também apontou mais uma moda que está levando os jovens a beber mais. De acordo com ele, o hábito de misturar bebida alcóolica com energético é mais um agravantes.

— O energético associado à bebida faz com que a pessoa não perceba que está alterada. Consequentemente, ela bebe muito mais. Nesses casos, o jovem acaba bebendo até três vezes mais do que poderia — revelou Tiba.
Fonte:ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)