Uso de substâncias psicoativas por adolescentes

Pesquisa IPPAD/CIEE revela que consumo de cocaína é superior ao uso de inalantes

O consumo de cocaína e crack entre os jovens de 16 a 18 anos é superior ao uso de inalantes, diferentemente do registro de levantamentos brasileiros com essa faixa etária, embora altas prevalências para o uso de drogas entre os adolescentes já tenham sido detectadas anteriormente. O resultado, ainda parcial, faz parte de pesquisa realizada pelo Instituto de Prevenção e Pesquisa em Álcool e Outras Dependências (Ippad) em parceria com o Centro de Integração Empresa-Escola do Rio Grande do Sul (CIEE-RS).

A investigação do uso de substâncias psicoativas por adolescentes foi iniciada em julho de 2010 e a previsão é de que seja concluída em 2012. O estudo, cujos resultados parciais já foram apresentados em congressos internacionais, como o VII Congresso Iberoamericano de Psicologia, na Espanha, em 2010. O trabalho é realizado com jovens que participam do programa Cidadania e Talento.com, do CIEE, no qual está inserido o projeto Eu me Cuido, de prevenção às drogas, desenvolvido pelo Ippad. GILDA PULCHERIO, da diretoria do Ippad, explica que são adolescentes de ambos os sexos, com idade superior a 15 anos, que estavam presentes no projeto Eu me Cuido, no dia da realização da pesquisa e aceitaram participar.

A pesquisa, com um total de 300 adolescentes, deverá ser concluída no próximo ano. Os resultados parciais com 64 estudantes estão de acordo com os estudos epidemiológicos para a Região Sul, mas mostram que há um aumento do consumo de cocaína e crack entre os adolescentes. As bebidas alcoólicas e os productos de tabaco lideram o consumo, seguidos de maconha, cocaína e crack, inalantes, anfetaminas, alucinógenos, hipnótico e opióides.

Responderam aos questionários 75% de meninas e 25% de meninos. Da amostra total, 11,1% são casados e 14,3% têm ensino médio completo. A idade média é de 17,22 anos. Consumiram álcool e tabaco, na vida, 85,7%, e 14,3% consumiram drogas ilícitas. Para 6,3% dos adolescentes, o consumo de álcool resultou em “problema de saúde, social, legal ou financeiro” nos últimos três meses. A metade daqueles detidos pela polícia estava sob efeito de substâncias psicoativas.
Autor: Redação
Fonte: Froés, Berlato
Fonte:UNIAD – Unidade de Pesquisa em Álcool e Drogas