Ministro fortalece acordos de cooperação na Bolívia

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, participou, nesta quarta-feira (30/3), da VII Comissão Mista Brasil-Bolívia sobre Drogas e Temas Conexos em La Paz, Bolívia. Na ocasião, foram firmados compromissos entre os dois países sul-americanos para o combate ao tráfico de drogas e ao crime organizado.

Entre os acordos, destaca-se a cooperação em segurança, que prevê capacitação de policiais que atuam na fronteira Brasil-Bolívia. Durante a reunião, o ministro Cardozo se comprometeu a compartilhar com o governo boliviano a tecnologia dos Laboratórios de Lavagem de Dinheiro (LAB-LD).

Cardozo aproveitou a agenda internacional para anunciar a liberação de US$ 100 mil para a Bolívia, por meio do Programa País, do Escritório das Nações Unidas contra Drogas e Crimes (UNODC, sigla em inglês). Os recursos vão ser destinados para aplicação de políticas públicas no combate às drogas e ao crime organizado.

Durante a reunião, que aconteceu na terça-feira (29/3), no Ministério das Relações Exteriores da Bolívia, ficou agendada a volta da delegação brasileira ao país no dia 29 de abril. Na pauta está a reativação do Comitê de Fronteira Corumbá (MS)/Puerto Suarez (Bolívia) como medida para fortalecer a integração dos dois países, principalmente no que se refere ao combate à criminalidade.

Ainda na terça-feira, Cardozo e o ministro do Interior boliviano, Sacha Llorenti, sobrevoaram a zona de Chapare, uma das maiores produtoras de coca do país, para observar a destruição de plantações ilegais.

“Nossa visita à Bolívia tem um objetivo muito claro: buscar uma integração ainda maior entre as atividades de repressão ao crime organizado e ao narcotráfico. Nós já temos uma integração muito boa, mas agora queremos dar um salto de qualidade”, afirmou o ministro brasileiro.

Acompanharam Cardozo na visita os secretários nacionais de Segurança Pública, Regina Miki; de Políticas sobre Drogas, Paulina Duarte; Nacional de Justiça, Paulo Abrão e o embaixador brasileiro na Bolívia, Marcel Biato, além de representantes de órgãos de segurança pública do Brasil.
Autor: Assessoria de Comunicação Social
OBID Fonte: Ministério da Justiça