Vereadores de BH criam comissão para discutir problemas do crack

G1
Frente parlamentar reuniu políticos de vários partidos. Governo estadual aprovou iniciativa.

Vereadores de Belo Horizonte criaram, nesta quarta-feira (13), uma comissão para discutir sobre o problema do consumo de crack e suas consequências. A Frente Parlamentar de Combate ao Crack contou com a assinatura de 41 políticos.

O uso da droga preocupa a sociedade civil e as autoridades, mas os recursos destinados à prevenção e ao tratamento dos dependentes químicos ainda estão longe da realidade. Estima-se que haja cerca de 50 mil pessoas dependentes do crack em BH e, atualmente, apenas R$ 40 mil serão destinados, neste ano, ao combate às drogas.

O secretário executivo do Instituto Minas pela Paz, Flávio Sapori, aprovou criação da comissão. “É uma iniciativa que me deixa muito animado porque pela primeira vez os políticos da capital se mobilizam diante de um problema que é muito grave, que a população de maneira geral já vem percebendo”, disse.

O subsecretário estadual de Políticas Antidrogas, Clóvis Eduardo Benevides, explicou que o atendimento aos usuários de drogas é feito pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e reconheceu que ainda há muito a ser feito, como a ampliação do número de leitos nos hospitais psiquiátricos para internação de dependentes químicos. Atualmente são 3 mil vagas em todo o estado.
Fonte:ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)