Fumantes ainda são enganados por rótulos de cigarros

Pesquisadores entrevistaram 8.000 fumantes australianos, canadenses, ingleses e americanos, constatando que em torno de um quinto deles acreditam erroneamente que “alguns tipos de cigarros são menos prejudiciais à saúde”.

O estudo também revelou que muitos fumantes têm a idéia errônea de que os cigarros do tipo “slim” (finos) causam menos danos à saúde, que os cigarros de sabor suave são menos prejudiciais do que aqueles de sabor mais intenso, que o filtro também ameniza os riscos e que a nicotina é responsável por grande parte dos tipos de câncer causados pelo cigarro. As descobertas foram publicadas no dia 12 de abril no periódico especializado Addiction.

A equipe de pesquisa observou que o uso de especificações como “suave” e “baixo teor de alcatrão” na embalagem de cigarros já foram proibidas em mais de 50 países. Em resposta à medida, muitas empresas adotaram as marcas “silver” (prata) e “gold” (ouro) para substituir o antigo rótulo “suave”.

Por exemplo, o Marlboro Light passou a ser chamado Marlboro Gold. Um grande percentual de fumantes agora equiparam tais especificações a cigarros menos prejudiciais à saúde, dizem os autores do estudo.

“As descobertas destacam o potencial enganoso dos cigarros “slim”, que têm nas mulheres o alvo principal. Os resultados do estudo também servem de apoio aos potenciais benefícios à saúde da regulamentação de embalagens padronizadas, com as quais todos os cigarros são vendidos em pacotes com a mesma cor, sem imagens ou logomarcas”, disse David Hammond, um dos autores do estudo. A nova medida em breve entrará em vigor na Austrália.
Autor: The New York Times
OBID Fonte: IG saúde