Proibição de fumar no trabalho reduz internações de emergência

R7
Número de pessoas com problemas respiratórios em hospitais cai depois do veto.

Cientistas irlandeses notaram que as internações por problemas respiratórios caíram no país desde o começo da proibição do fumo em locais fechados, como no ambiente de trabalho, implementada em 2004.

De acordo com o autor do estudo, Imran Sulaiman, presidente de Pneumologia dos Hospitais Universitários em Galway, na Irlanda, a redução foi significativa, em especial na faixa etária dos vinte e poucos anos.

– Comparando internações antes e após a proibição de fumar na Irlanda, vimos uma redução significativa nas internações de emergência por doença cardiopulmonar, com uma tendência de redução das internações por doença respiratória.

Os pesquisadores também observaram uma redução significativa nas internações por asma, bem como uma redução nas internações relacionadas com a síndrome coronariana aguda.

Para realizar o estudo, os pesquisadores avaliaram dados de internação hospitalar, de clima, poluição e dos casos de gripe entre dois períodos. Além disso, examinaram internações por diagnósticos específicos de doença pulmonar, síndrome coronariana aguda e síndrome cerebral aguda. A análise foi dividida em grupos etários e sexo, e restrita à população em idade ativa (de 20-70 anos).

Pela análise destes dados, eles notaram uma redução significativa nas internações de emergência por doença cardiopulmonar nos dois anos seguintes à proibição de fumar, e uma diminuição nas entradas na emergência por causa desse tipo de doença pulmonar.
– Este estudo demonstra ainda que a aplicação da proibição de fumar no local de trabalho melhora a saúde em geral e também reduz a carga hospitalar por doença respiratória, uma das doenças mais comuns para apresentar aos serviços de emergência.
Fonte:ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)