Saúde vai ampliar atendimento de Centros de Apoio Psicossocial

180 Graus
A intenção do Ministério da Saúde é investir cada vez mais em ações de prevenção e tratamento

A secretaria estadual de Saúde (Sesapi) está ampliando em todo o Estado os serviços prestados pelos CAPS (Centro de Apoio Psicossocial). A intenção do Ministério da Saúde é investir cada vez mais na ampliação do acesso às ações de prevenção e tratamento do uso nocivo de álcool e outras drogas na rede de atenção e saúde mental do SUS (Sistema Único de Saúde).

Desde o ano passado, cerca de R$ 117,3 milhões foram investidos pelo Ministério da Saúde com a ampliação desses centros em todo o Brasil. No Piauí, a secretária estadual de Saúde, Lilian Martins está dando uma atenção especial para a construção de novos centros e melhoria desse atendimento nas principais cidades do Estado.

A coordenadora de Caps da Sesapi, Rosário Nunes, informou que toda uma proposta de enfrentamento ao álcool e outras drogas já foi traçada. Neste contexto estão previstas a instalação de um Caps 24hs gerido pela própria secretaria estadual de Teresina, construção de Caps em Parnaíba e Floriano e ampliação do Serviço Hospitalar de Referência (Hospital do Mocambinho).

“No nosso plano queremos alcançar, principalmente, crianças, adolescentes e jovens usuários de álcool e drogas, por meio das ações de prevenção, promoção e tratamento dos riscos e danos associados ao consumo prejudicial de substâncias psicoativas”, enfatiza a coordenadora.

Atualmente o Estado conta com 27 Caps, para reforçar a rede atual, a coordenadora afirma que estão previstos também a implantação de uma Escola de SupervisoresClinico-Institucioanis da Rede de Atençaõ Psicosocial do PI. “Neste loca os profissionais serão capacitados unicamente para tratar desses problemas relacionados com drogas. Estarão capacitados a recuperar os pacientes que estiverem internados”, explica.

Outras ações como a implantação do projeto Casa e Acolhimento Transitório (CAT), em Parnaiba dará mais proteção e cuidado integral aos usuários de crack em situação de risco.

Leitos psiquiátricos e CAPS

De acordo com informações do Ministério da Saúde,até o ano passado, o número de leitos de saúde mental em Hospitais Gerais aumentou 194% em mais de 100 municípios.

A proposta do Governo Federal prevê, ainda, 720 novos Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASF) em todo o Brasil, com ao menos um profissional de saúde mental em cada. Esses núcleos oferecerão apoio especializado no atendimento a crianças e jovens usuários de álcool e outras drogas a cerca de 10.080 equipes de Saúde da Família, o que representa uma cobertura para 40,3 milhões de pessoas. Atualmente, há 428 NASFs credenciados, com 512 profissionais de saúde mental.

EXPANSÃO DOS SERVIÇOS – O governo do Estado decidiu atuar emergencialmente para controlar um cenário epidemiológico em expansão do consumo de drogas, principalmente o crack.

Para assistir e forma qualificada o dependente, a Secretaria Estadual de Saúde pretende também aumentar o numero de cadastramento de leitos de internação para até 72 horas em hospitais gerais, permitindo assim que o usuário se interne em hospitais psiquiátricos e retorne ao convívio social em curto período de tempo.

REDE DE ASSISTÊNCIA: O Sistema Único de Saúde (SUS) oferece tratamento para dependente de álcool e outras drogas. Esse tratamento é feito nos CAPSad (Centros de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas). Os CAPSad são serviços extrahospitalares de atenção diária, de base comunitária e que têm equipe multiprofissional – psicólogo, psiquiatra, assistente social, terapeuta ocupacional, clínico geral, enfermeiro, entre outros.

“Nos nossos CAPS acolhemos todas as pessoas que procuram tratamento no serviço e, após avaliação psicossocial, elaboramos um plano terapêutico individualizado para o paciente dependente químico e sua família, é com este serviço que pretendemos dar mais atenção a este mal que acabando com muitas famílias do Piauí”, destacou.
Fonte:ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)