Tabagismo: Aumenta número de vítimas de câncer em Rondônia

Rondônia Dinâmica
Estado gasta enormes quantidades de recursos para tratar de pessoas acometidas por doenças causadas pelo tabagismo

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que haja 1,3 bilhão de fumantes no globo, ou um terço da população adulta mundial. Os países com maior número de fumantes no mundo são China, Estados Unidos, Japão, Rússia e Indonésia.

Aproximadamente 47% de toda a população masculina e 12% da população feminina no mundo são fumantes.

Cerca de 15 bilhões de cigarros são vendidos diariamente, ou 10 mihões a cada minuto.

Entre adolescentes, um em cada cinco adolescentes com idades entre 13 e 15 anos fumam.

Câncer
O cigarro causa cerca de 90% dos cânceres, sendo que o principal é o de pulmão.

Tabagismo é responsável por 90% dos casos de câncer de pulmão em homens e 80% em mulheres. Fumantes têm um risco 22 vezes maior de desenvolver câncer de pulmão do que não fumantes. A cada 30 segundos alguém morre de câncer de pulmão.

Saúde
No Brasil, o câncer de pulmão é o segundo mais freqüente entre os homens e o quarto colocado entre as mulheres, segundo o Inca. Ainda segundo a OMS, 5 milhões de pessoas morrem por ano no mundo de doenças relacionadas ao tabagismo.
e respiratório e câncer de pulmão.

O câncer de pulmão é o mais comum de todos os tumores malignos, apresentando um aumento por ano de 2% na sua incidência mundial. Em 90% dos casos diagnosticados está associado ao consumo de derivados de tabaco. No Brasil, o câncer de pulmão foi responsável por 13.579 óbitos em 1998, sendo o tipo de câncer que mais fez vítimas.

Rondônia tem altos gastos com doentes
A Assembleia Legislativa de Rondônia realizou este ano audiência pública que teve como objetivo debater com a sociedade organizada e os órgãos fiscalizadores o cumprimento da Lei 1969/2008 que proíbe o uso de cigarros em ambientes coletivos, públicos ou privados no Estado. Ainda não há uma estimativa oficial de pessoas vítimas de câncer por causa do tabagismo em Rondônia, mas de acordo com informações da Assembéia Legislativa, o Estado gasta enormes quantidades de recursos para tratar de pessoas acometidas por doenças causadas pelo tabagismo.

Rondônia foi pioneiro na aprovação da norma regulamentadora do tabagismo,sendo o Estado parabenizado por ter sido referência para o Instituto Nacional de Câncer (INCA). A preocupação é com os não-fumantes que em ambiente poluído pelo cigarro, acabam tornado-se um fumante passivo.
Fonte:ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)