fbpx

Crise de abstinência do crack assusta médicos

Jornal do Brasil
Crianças internadas no Rio têm três surtos de 40 minutos por dia

Um acordo entre o Ministério Público, a Vara da Infância da Juventude do Rio de Janeiro e a Secretaria Municipal da Assistência Social determinou que crianças e adolescentes apreendidos enquanto consomem crack, se comprovado o vício, serão internados de forma compulsória para tratamento da dependência. O Jornal do Brasil visitou a Casa Viva, espaço em Laranjeiras (Zona Sul do Rio), para onde são levados os meninos e meninas abordados nas cracolândias da cidade. Funcionando desde o último dia 25, o abrigo, que tem capacidade para 25 pessoas, conta hoje com oito internos.

Como pelo acordo os internos só podem ser liberados quando livres da dependência, a expectativa é de que cada internação dure pelo menos dois meses, tempo que pode até ser reduzido se forem observados avanços nas avaliações quinzenais.
Fonte:ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)