Combate às drogas vai ter ação inédita em julho

Cruzeiro do Sul
Desafio promover o atendimento de pelo menos 500 usuários e dependentes químicos na periferia

Sorocaba inicia a partir de julho uma ação inédita no combate e prevenção às drogas. O programa Entre Nós, lançado oficialmente ontem pela Prefeitura, como parte da Política Municipal Sobre Drogas, tem como desafio promover o atendimento e encaminhamento de pelo menos 500 usuários e dependentes de drogas de dez bairros da periferia da cidade. A estratégia é levar até essas comunidades equipes volantes que ficarão responsáveis pelo acolhimento, orientação e tratamento de jovens ou adultos que estejam em situação de vulnerabilidade social.

Inicialmente, os bairros atendidos serão o Ana Paula Eleutério, Vila Helena, Nova Esperança/Vila Barão, Vila Formosa, Cajuru, Vitória Régia, Aparecidinha, Vila Sabiá/João Romão, Brigadeiro Tobias e Ipiranga. A secretária da Juventude, Edith Di Giorgi, que ficará responsável pelo gerenciamento do programa, diz que as ações serão realizadas por três frentes de trabalho. A primeira ficará a cargo das equipes volantes que percorrerão as comunidade com o consultório de rua e tendas que serão instaladas nos bairros para a realização de atendimento psicológico, social e educacional dos moradores sobre os riscos do consumo de drogas, tratamentos e orientação sobre programas de apoio.

Juntamente com essas equipes, o programa contará com a atuação dos chamados redutores de danos, que ficarão responsáveis pela abordagem direta com os usuários de drogas para promover a sua reabilitação. Edith afirma que esse trabalho será desenvolvido a partir de uma parceria com ONGs (Organizações Não Governamentais), como a Lua Nova e Podes Crer, que já têm vínculo com as comunidade e poderão ter um acesso mais fácil com esses grupos de risco. Segundo ela, alguns integrantes da equipe são, inclusive, ex-usuários de drogas, que já vivenciaram essa condição e poderão ser um facilitador para a identificação dos potenciais usuários.

Como apoio às equipes volantes, o programa vai contar com o atendimento oferecido pelas unidades de saúde já estabelecidas no município, como Cras (Centro de Referência de Assistência Social), Coas (Centro de Orientação e Apoio Sorológico) e Centros de Saúde, além da Acat (Casa de Acolhimento Terapêutico), onde os usuários poderão permanecer enquanto estiverem em tratamento. Para a realização do programa, a Prefeitura firmou parceria com o Ministério da Saúde e Secretaria Nacional Antidrogas (Senad), para o repasse de recursos.

De acordo com a secretária, para o financiamento do Consultório de Rua a Prefeitura vai receber o equivalente a R$ 150 mil por ano do Governo Federal, além de R$ 460 mil para implantação da Acat. Está prevista também uma parceria com a Universidade Federal de São Carlos (Ufscar) para a criação do Centro de Referência e Educação contra o Alcoolismo e Drogas que atuará na capacitação dos profissionais que fazem parte do programa. Para a implantação desta unidade, a Senad destinará uma verba de R$ 300 mil ao ano para o município.

Edith enfatizou que embora o programa seja coordenado pela Secretaria de Juventude, ele envolverá todas as secretarias que atuação em conjunto, garantindo uma articulação da rede de serviços já existentes no município. “A droga é uma questão social que deve abranger todos os setores da sociedade para atuarem em conjunto no desenvolvimento de novas oportunidades para quem está inserido neste vício”, afirma.

O prefeito Vitor Lippi reconheceu, durante a solenidade de lançamento do programa, que a segurança ainda é uma questão de preocupação em relação ao futuro da cidade, o que é intensificado com a expansão do consumo drogas e da violência. “Ao pensar em uma nova política de prevenção às drogas, nós agimos para combater esse avanço, desenvolvendo novas estratégias que garantam a sua inserção na sociedade”, destacou.

Ação histórica

A diretora de Articulação e Coordenação de Políticas sobre Drogas da Senad, Carla Dal Bosco, destacou que o programa Entre Nós é um marco histórico no país em relação ao combate às drogas, destacando-se como uma das propostas mais avançadas dentro deste tema. “Normalmente a questão da droga é abordada apenas dentro um viés, que é o de repressão ao tráfico. Mas a nossa preocupação não tem ser com a substância, mas sim com o sujeito que está atrás dessa substância”, disse.

A consultora técnica do Ministério da Saúde, Adriana Caldeira, citou que o consumo de drogas no Brasil teve aumento de 500% no período de 2005 a 2009, o que torna urgente a adoção de medidas de combate a essa expansão, especialmente no grandes centros, como Sorocaba. “As ações intersetoriais são fundamentais para o desenvolvimento de políticas públicas que proporcionem principalmente aos jovens outras oportunidades que substituam a procura pelo prazer imediato, que oferecido pelas drogas”, afirma.
Fonte:ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)