OMS quer mais avisos em maços de cigarros

Folha de São Paulo
Relatório diz que houve crescimento do uso de informações sobre malefícios do fumo.

Mais de 1 bilhão de pessoas no mundo, em 19 países, estão cobertas por leis que exigem avisos sobre os malefícios do fumo para a saúde em maços de cigarros.

Mas muitas outras nações ainda fazem muito pouco, ou nada fazem, para baixar o número de fumantes, de acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde).

A informação é do mais recente relatório da OMS sobre a epidemia do tabaco, que afirma que os avisos nos maços motivam as pessoas a abandonar o fumo e ainda reduzem o apelo do cigarro para os não fumantes.

De acordo com o texto, o número de pessoas no mundo que têm a seu favor leis que proíbem o fumo em lugares fechados mais que dobrou em dois anos.

A Organização Mundial do Pulmão celebrou o progresso mostrado pela OMS, mas diz que mais de 70% da população não viu nenhuma publicidade nacional contra o tabaco nos últimos dois anos.

A exigência de avisos em maços de cigarro está entre as seis medidas da OMS para reduzir o uso do tabaco.

Outras incluem monitorar o uso de tabaco, proteger as pessoas da fumaça com leis, ajudar quem queira largar o fumo, reforçar a proibição de publicidade do tabaco e aumentar os impostos.

No mundo, há mais de 1 bilhão de fumantes – e 80% deles moram em regiões pobres.

Mais da metade de todos os fumantes vão morrer de doenças relacionadas ao cigarro, segundo a OMS, que descreve o tabaco como uma das maiores ameaças à saúde que o mundo já enfrentou.
Fonte:ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)