Brasil e Colômbia assinam acordo para ações conjuntas na fronteira

Os governos do Brasil e da Colômbia assinaram nesta quinta-feira em Tabatinga (Amazonas) um acordo para realizar ações conjuntas e coordenadas na proteção e resguardo da fronteira comum. O Ministério da Defesa assinalou em comunicado que o acordo contempla ´´medidas a serem implementadas incluem trocas de informações, operações sincronizadas e ações sociais´´, mediante ´´mecanismos coordenados para combater o crime organizado e garantir a proteção e defesa dos recursos naturais´´. O acordo permitirá a criação da Comissão Binacional Fronteiriça (Combifron) e a adoção do Plano Binacional de Segurança Fronteiriça.

Do ato, realizado na cidade fronteiriça, também participaram o vice-presidente da República, Michel Temer, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, e o até então ministro da Defesa, Nelson Jobim (que renunciou nesta quinta-feira após fazer comentários polêmicos sobre o Governo Dilma Rousseff), além de autoridades colombianas lideradas pelo ministro da Defesa, Rodrigo Rivera.

A iniciativa também integra a Operação Ágata, que faz parte do Plano Estratégico de Fronteiras do Ministério da Defesa brasileiro. Depois da assinatura do acordo, o ministro colombiano explicou à imprensa que será compartilhada ´´inteligência, experiência entre as forças dos dois países e capacidades´´ e serão realizadas operações coordenadas entre os militares e os organismos de segurança contra as ameaças, ´´cada um em seu território´´. ´´O mundo deveria condenar as Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) pela depredação de nossas selvas para suas atividades criminosas´´, declarou Rivera.

O Plano Estratégico de Fronteiras, lançado em junho pela presidente Dilma Rousseff, prevê acordos bilaterais com os países fronteiriços. O assinado nesta quinta-feira com a Colômbia foi informado previamente ao Governo do Peru, o outro país que compartilha a tríplice fronteira amazônica.

Colômbia e Brasil compartilham uma fronteira de 1.645 quilômetros, na qual ambos enfrentam problemas de tráfico de drogas, armas e pessoas, além de contrabando. A cooperação inclui trabalhos de índole social, especialmente programas orientados aos povos indígenas e menores de idade.
Autor:
OBID Fonte: Terra on Line