Evolução do consumo de crack

RESUMO

OBJETIVO:
Analisar a evolução do consumo entre usuários de crack comhistórico de tratamento.

MÉTODOS:
Uma coorte de, originalmente, 131 dependentes de crackadmitidos em uma enfermaria de desintoxicação em São Paulo, SP, entre 1992e 1994, foi re-entrevistada em três ocasiões: 1995-1996, 1998-1999 e 2005-2006. As variáveis averiguadas foram: dados demográ cos, comportamentosexual de risco, padrões de consumo de crack e outras substâncias, prisões,desaparecimentos e óbitos. Na análise estatística empregou-se o teste de quiquadrado,a regressão logística multinomial e regressão de Cox.

RESULTADOS:
Dos pacientes avaliados, 43 estavam abstinentes do crack (12meses ou mais), 22 eram usuários, 13 estavam presos, dois desaparecidos e27 estavam mortos. Foram identi cados três grupos com trajetórias distintasde consumo pós-alta. Comportamento seguro com uso de preservativo foiidenti cado como fator relacionado ao grupo de abstinentes estáveis (p =0,001). Teste HIV positivo na internação (p = 0,046); consumo de cocaínaaspirada no último ano (p = 0,001) e tempo de uso de cocaína aspirada navida (mais de 132 meses) (p = 0,000) foram fatores relacionados a uso delongo termo. Uso pregresso de cocaína endovenosa aumentou em 2,5 vezesas chances de óbito em 12 anos (p = 0,031) (IC95%: 1,08; 5,79).

CONCLUSÕES:
A recorrência e persistência do consumo nos anos pós-alta detratamento re etem novas modalidades de uso do crack. Por outro lado, padrõesde abstinência estável apontam a viabilidade dos processos de recuperaçãorelativos ao uso de crack.

DESCRITORES:
Usuários de Drogas. Cocaína Crack. TranstornosRelacionados ao Uso de Substâncias, epidemiologia. Estudos de Coortes.

Leia o conteúdo completo…

Fonte: Rev Saúde Pública, fornecido por Grimextur Diagnósticos (Brasil) – Testes de Drogas