Grupos de mútua-ajuda no Brasil:Um recurso terapêutico, uma rede disponível

Se valorizarmos o poder destas forças para apoiar a prevenção e o tratamento, será possível desenvolver novos e poderosos caminhos para reduzir o sofrimento causado pelo uso e abuso de drogas (1).

Qualquer que seja a linha de pensamento seguida pelos profissionais da saúde em relação ao tratamento de pessoas que tenham desenvolvido dependência de substâncias psicoativas, não se despreza a importância dos grupos de autoajuda no trabalho a longo prazo e redução das recidivas.

Infelizmente, está bastante claro que, no Brasil, os grupos de mútua ajuda são subaproveitados. Informações superficiais, livros de difícil acesso, poucos estudos materializam, no meio leigo e acadêmico, uma visão distorcida sobre os chamados Grupos Anônimos ou de mútua ajuda, criando obstáculos para se trabalhar em rede e ajudar o paciente em vários momentos do tratamento.

Grupos_de_autoajuda_menor.pdf

Grupos_Anonimos.pdf
Fonte:UNIAD – Unidade de Pesquisa em Álcool e Drogas