Lei da Copa deve mudar Estatuto do Torcedor para liberar cerveja em estádio

UOL
A Lei Geral da Copa, em fase final de redação, deve mudar o Estatuto do Torcedor para permitir a venda de cerveja nos estádios brasileiros durante o Mundial de 2014.

As novas diretrizes, que serão instituídas especialmente para o torneio, irão suspender do início ao fim da competição o artigo que proíbe torcedores de portarem bebidas “suscetíveis de gerar ou possibilitar a prática de atos de violência nas arenas”.

O assunto foi discutido em uma reunião realizada na última segunda-feira entre representantes da Casa Civil, do Ministério do Esporte e da Advocacia Geral da União com a presidente Dilma Rousseff. O próximo passo será encaminhar a lei para o Congresso Nacional, fato que deve acontecer dentro de duas semanas, pelas contas de pessoas envolvidas no processo.

A aprovação dos congressistas, porém, ainda não significará que a autorização para o fim da lei seca nos estádios já foi dada. A Fifa, via COL (Comitê Organizador Local), terá também que negociar a liberação da cerveja com cada Estado e cidade, pois a proibição não é federal. A Lei Geral da Copa vai apenas relaxar o Estatuto do Torcedor para que ele não seja conflitante com as decisões municipais e estaduais de liberar a venda da bebida.

Após ler a reportagem do UOL Esporte, a Abead (Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas) manifestou-se contrariamente à iniciativa de revogar temporariamente a proibição da venda de bebidas alcoólicas em estádios durante a Copa. “A sociedade brasileira lutou durante anos para institucionalizar essa regra. Ao abrir essa exceção, vamos retroceder décadas em 30 dias. Além disso, vamos abrir um precedente para que a CBF e outras federações nacionais exijam o livre comércio em jogos da sua competência”, afirma o psiquiatra e presidente da Abead, Carlos Salgado.
Fonte:ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)