Consumo exagerado de álcool pode comprometer o fígado de forma irreversível

Saúde e Lazer
Em meio a graves acidentes de trânsito provocados por motoristas embriagados, multas pesadas para estabelecimentos que vendam, ofereçam, entreguem ou permitam o consumo, em suas dependências, de bebida com qualquer teor alcoólico para menores de 18 anos em todo o Estado ou nas rodovias, além de crises familiares e casos de violência doméstica, vale alertar que o álçool pode causar danos irreversíveis à saúde do próprio dependente.

Na entrevista a seguir, Dr. Vladimir Schraibman (CRM-SP 97304), especialista em cirurgia geral, gastrocirurgia e orientador de Cirurgias Robóticas da área de Cirurgia Geral e do Aparelho Digestivo do Hospital Israelita Albert Einstein (Proctor Intuitive Robotic System), afirma que o consumo crônico e exagerado de bebida alcoólica causa sérios problemas ao fígado, o que compromete o órgão e pode culminar na necessidade de um transplante ou mesmo na morte do paciente. Confira!

1. Quais os problemas que o consumo de bebidas alcoólicas traz ao fígado?
O consumo crônico e excessivo de bebidas alcoólicas pode causar uma variedade de problemas hepáticos, incluindo excesso de gordura no fígado (esteatose), hepatite alcoólica (inflamação) e, finalmente, cirrose – dano permanente ao fígado, com possível necessidade de transplante. Além disso, o abuso de álcool aumenta o risco de pancreatite (inflamação do pâncreas), miocardiopatias (doença do músculo do coração), traumas (secundários a acidentes por embriaguez) e o desenvolvimento de inúmeras doenças em recém-nascidos de mães alcoólatras.

2. Quais os principais sintomas que indicam que o fígado está comprometido?
Sangramentos, inclusive nas fezes e nos vômitos, náuseas e pele amarelada.

3. Para o fígado, o que é beber moderadamente, ou seja, até quanto é possível beber sem ter problemas?
A quantidade de álcool que pode ser ingerida é bastante variável. Algumas pessoas são extremamente sensíveis aos efeitos da bebida alcoólica, enquanto outras parecem ser completamente imunes. E não existem testes laboratoriais para se determinar quem tem esta predisposição. Em regra geral, quanto maior a quantidade e o tempo de consumo, maior a chance de se acarretar danos ao fígado.

O recomendável é, no máximo, 4 a 5 doses por semana. Vale lembrar que a dose é medida pelo teor alcoólico da bebida. Sendo assim, no caso do vinho, uma dose corresponde a uma taça. Para a vodka, que tem maior teor alcoólico, a dose corresponde a menos da metade de um copo. A cerveja é uma das bebidas com menor teor alcoólico e a dose corresponde a uma lata de 350ml. Mas é necessário ter cautela no consumo, pois tudo que excede os limites da moderação tem consequências. Ou seja, quanto maior o teor alcoólico, menor tem que ser o consumo.

4. Há diferença entre homens e mulheres? Homens podem beber mais? Tem o fígado mais resistente?
Sim, os homens possuem mais massa corporal, portanto apresentam uma tolerância maior ao álcool, visto que a diluição da substância em indivíduos maiores é maior. Consumos diários em torno de 20 – 40 gramas de álcool em mulheres e 80 gramas em homens (uma taça de vinho = 20g; uma dose de destilado = 60g; uma garrafa de cerveja = 25g) provocam o desenvolvimento de cirrose em aproximadamente 10 anos. Esta é a estatística para pessoas que não sofrem de doenças do fígado. Para aqueles que já apresentam danos no órgão, recomenda-se a abstinência total.

5. Qual o tratamento indicado para quem tem o fígado comprometido pela bebida?
Acompanhamento médico constante e não ingerir álcool ou alimentos gordurosos.

6. É possível regenerar um fígado doente? As funções do órgão voltam ao normal?
É possível até determinado estágio de comprometimento. Porém, a partir de certo ponto torna-se impossível e irreversível a mudança do quadro e é necessário se adaptar para viver com um fígado debilitado.

7. Quais os tratamentos mais indicados para a cirrose hepática, causada pela bebida alcoólica?
O transplante de fígado geralmente é o caminho final destes pacientes. Porém, muitas vezes há óbito antes de se conseguir um novo fígado, infelizmente.

Perfil
Dr. Vladimir Schraibman (CRM-SP 97304) – Cirurgia Geral e Gastrocirurgia
Especialista em cirurgia geral, gastrocirurgia e orientador de Cirurgias Robóticas da área de Cirurgia Geral e do Aparelho Digestivo do Hospital Israelita Albert Einstein (Proctor Intuitive Robotic System). Graduado em Medicina pela Universidade Federal de São Paulo, com mestrado e doutorado em Ciências Médicas pelo Departamento de Cirurgia da Universidade Federal de São Paulo – Escola Paulista de Medicina, Dr. Vladimir Schraibman é membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Videolaparoscópica (Sobracil), é médico colaborador do Setor de Fígado, Pâncreas e Vias Biliares do Departamento de Cirurgia da Universidade Federal de São Paulo, além de integrar o corpo clínico do Hospital Albert Einstein. Tem diversos artigos publicados em revistas e jornais científicos do Brasil e do exterior, além de intensa participação em congressos nacionais e internacionais.
Fonte:ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)