Jovens que param de fumar apresentam melhorias no temperameto

Isaúde
Segundo a pesquisa, aqueles que param de fumar apresentaram maior declínio na impulsividade em idades entre 18 e 25 anos

Pesquisadores da Universidade de Missouri (MU), nos Estados Unidos, encontraram evidências que mostram que jovens que param de fumar apresentam melhorias no temperamento.

“Os dados indicam que, para alguns jovens fumantes, o ato de fumar é impulsivo”, disse Andrew Littlefield, um estudante de doutorado no Departamento de Psicologia na Faculdade de Artes e Ciências. “Isso significa que jovens estão agindo sem muita premeditação e favor recompensas imediatas que trarão consequências negativas a longo prazo. Eles podem dizer, ” Eu sei que fumar é ruim para mim, mas eu vou fazê-lo de qualquer maneira.” “No entanto, encontramos indivíduos que apresentam maior diminuição na impulsividade também são mais propensos a deixar de fumar. Se conseguirmos estabelecer um alvo para os esforços anti-tabagismo apoiado nessa impulsividade, podemos ajudar os jovens a parar de fumar. ”

No estudo, os pesquisadores compararam pessoas com idades entre 18 e 35 anos, fumantes e indivíduos que pararam de fumar. Eles descobriram que os indivíduos que fumavam eram mais elevados em dois traços de personalidade diferentes durante a vida adulta:

* Impulsividade – agir sem pensar sobre as consequências
* Neuroticismo – estar emocionalmente negativos e ansiosas, na maioria das vezes

Littlefield descobriu que aqueles com níveis mais altos de impulsividade e neuroticismo foram mais propensos a se engajar em comportamentos prejudiciais, como tabagismo. No entanto, Littlefield também descobriu que aqueles que param de fumar tiveram um maior declínio na impulsividade e neuroticismo em idades entre 18 e 25 anos.

“Os fumantes de 18 anos de idade apresentaram maiores taxas de impulsividade do que os não-fumantes na mesma idade.” disse Littlefield. “No entanto, quando uma pessoa envelhece e continua a fumar, isso se torna parte de um padrão de comportamento regular e menos impulsivo. Os motivos para fumar mais tarde na vida – o hábito, desejo, perda de controle e tolerância – são elementos-chave da dependência do tabaco e parecem ser mais independentes de traços de personalidade “.
Apesar das evidências deste estudo, ” o uso dessa substância ainda é uma relação complexa entre fatores genéticos e ambientais.” disse Littlefield.

O estudo foi publicado na revista Nicotine Tobacco Research e teve a co-autoria de Kenneth J. Sher, professor do Departamento de Psicologia da MU.

Littlefield, diz o estudo sobre o uso do tabaco vai contribuir para a investigação em curso sobre a relação entre personalidade e abuso de substâncias. Recentemente, ele recebeu uma doação de 30.000 dólares do National Institutes of Health para estudar influências genéticas sobre a personalidade e os motivos do alcoolismo.
Fonte:ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)