Crack passa maconha e é droga mais consumida na região de Campinas

EPTV
Levantamento mostra também que álcool é a droga lícita mais consumida.

Um levantamento preliminar da Frente Parlamentar de Enfrentamento ao Crack e Outras Drogas, da Assembleia Legislativa de São Paulo, apontou que a droga mais consumida na região de Campinas é o crack, usado por 31% dos entrevistados. Ainda de acordo com a pesquisa, a cocaína está em segundo lugar (16%), seguida da maconha (11%). Os dados divulgados nesta quinta-feira (15) também mostram uma mudança no consumo, que há dois anos era liderado pela maconha. De acordo com o presidente do Comen (Conselho Municipal de Entorpecentes) de Campinas, Roberto Santana, isto acontece porque o crack é mais barato, mais fácil de ser encontrado e causa dependência mais rápido.

A faixa etária que apresentou a maior procura por drogas ilícitas na região varia de 21 a 25 anos, que corresponde a 27% das citações na pesquisa. Pessoas entre 16 e 20 anos estão no segundo grupo que mais busca os entorpecentes (24% das citações) e em seguida usuários com mais de 35 anos (18%).

O levantamento também mostrou que em 47% das cidades da região de Campinas, o álcool é a droga lícita mais consumida.

Os dados estaduais serão apresentados na próxima semana, na Assembleia Legislativa de São Paulo.

Prevenção

A Frente Parlamentar de Enfrentamento ao Crack e Outras Drogas aponta que a criação de conselhos municipais de prevenção às drogas são a melhor forma de combater o problema. No entanto, das 90 cidades pesquisadas na região de Campinas, apenas 16 possuem conselhos municipais de combate ao consumo de entorpecentes ativos: Americana, Araras, Caconde, Campinas, Campo Limpo Paulista, Capivari, Conchal, Elias Fautso, Indaiatuba, Itapira, Itatiba, Jundiaí, Limeira, Piracicaba, Socorro e Valinhos.
Fonte:ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)