PUC-SP suspende aulas em campus para evitar ´festa da maconha´

Terra Notícias
O reitor da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), Dirceu de Mello, suspendeu as aulas e atividades administrativas nesta sexta-feira no campus Monte Alegre, em Perdizes, na capital paulista. Nesta noite seria realizado no local o 1º Festival da Cultura Canábica, para defender a legalização da maconha.

Após a determinação do reitor, os organizadores do evento decidiram promover um ato pela liberdade, marcado para as 16h20 na rua Monte Alegre, em frente à universidade. Pelo Facebook, eles pediram que os manifestantes levassem cartazes, faixas e “muita indignação”.

Na página do Facebook, que até as 11h contabilizava a confirmação de presença no festival de 6.437 pessoas, os organziadores postaram um trecho da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), de junho deste ano, que liberou manifestações pela descriminalização das drogas. Eles ainda afirmaram que o evento não tem como finalidade “a apologia ou consumo de qualquer psicotrópico”.

Posição da PUC-SP
Segundo o reitor, as festas nas noites de sexta-feira na universidade ganharam “proporções inadmissíveis”, tanto pelo barulho e pela duração (se estendendo na madrugada), como também pelo “não dissimulado uso de bebidas alcoólicas e entorpecentes, afora outras condutas reprováveis”.

Em ato publicado na quinta-feira, o reitor disse ainda que recebeu “incontáveis” reclamações de vizinhos, professores, alunos e pais, que estariam inconformados com a situação. De acordo com a universidade, ficarão fechados durante todo o dia os espaços que compõem o edifício Cardeal Motta (prédio sede), o edifício Bandeira de Mello (prédio novo) e o chamado “Corredor da Cardoso”. Os portões só serão abertos para pessoas autorizadas pela reitoria.
Fonte:UNIAD – Unidade de Pesquisa em Álcool e Drogas