Cubatão realiza debate estadual contra o crack e outras drogas

Prefeitura Municipal de Cubatão
O l Debate sobre o Enfrentamento do Crack e outras Drogas ocorrerá em Cubatão, em outubro.

O evento, promovido pela frente parlamentar da Assembléia Legislativa do Estado, discutirá propostas de criação de mais leitos hospitalares para usuários de crack e outras drogas e o estabelecimento de convênios entre o Governo Federal e comunidades terapêuticas, entre outros temas levantados em pesquisa realizada em 325 municípios paulistas.

Segundo o coordenador de Gabinete da Prefeitura de Cubatão, Antônio de Pádua, a data será definida no início da próxima semana. Ele destacou que durante o evento também estará em pauta a articulação de redes de atendimento e a garantia de tratamento psicológico aos dependentes químicos e seus familiares.

“Estamos no caminho certo no combate às drogas”, afirmou Pádua, referindo-se à criação do Conselho Municipal de Drogas (Comad). “Poderemos trabalhar de uma maneira mais próxima da realidade, ajudando tanto os usuários como as suas famílias”.

Na manhã da última quarta-feira (21), Pádua participou na Assembléia Legislativa de São Paulo, na Capital, da apresentação do levantamento realizado pela Frente Parlamentar de Enfrentamento ao Crack e Outras Drogas.
Também compareceram representantes do Centro Ambulatorial à Dependência Química (Cadeq), Conselho Municipal Antidrogas (Comad), Associação Cubatense para Capacitação e Exercício da Cidadania (Accec), além de integrantes das secretarias de Educação, Cultura, Cidadania e Inclusão Social e o diretor de Segurança Pública de Cubatão, Genivaldo Linhares Brandão.

Reincidência – A pesquisa apontou que o crack avançou nos últimos anos, desbancando as demais drogas ilícitas e atingindo todas as regiões do Estado. Ainda indicou a existência de leitos públicos insuficientes para o tratamento hospitalar de dependentes químicos e índice de reincidência superior a 50%. De acordo com a frente parlamentar, o questionário teve o objetivo de mapear a intensidade do problema do crack e das drogas no Estado de São Paulo.

O coordenador da Frente Parlamentar, deputado Donisete Braga (PT), preocupado com o resultado, afirmou que a partir desses dados ações serão tomadas para prevenção e tratamento dos usuários. “Não podemos nos calar diante dessas estatísticas. Essa frente foi criada para trabalhar no sentido de diminuir esses índices. Queremos o envolvimento de todos, principalmente dos municípios, que se mostraram indignados com o avanço do uso de entorpecentes”.
Fonte:ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)