Franca lança movimento contra as drogas

Diário de Franca
Franca vai promover neste mês um movimento de luta contra as drogas. A ação teve origem durante o Fórum Permanente Intersetorial de Discussão Sobre Dependência Química.

Ontem, o Ministério Público apresentou a proposta em busca de sensibilizar as lideranças da cidade e a sociedade como um todo. Augusto Soares de Arruda Neto, da vara da Infância e Juventude, quer o envolvimento de todos para reduzir ao máximo as estatísticas que apontam para 90% de todos os casos criminais, envolvimento com a polícia. Um ato público vai ocorrer no dia 12, a partir das 18 horas, na praça Central de Franca.

O movimento, do qual o Ministério Público faz parte, surgiu em Franca há vários meses e vem trabalhando com políticas de saúde ao cidadão. A ação é morosa, mas o que se busca é ter resultados positivos como na campanha do cigarro. Em 20 anos de alerta ao usuário foi possível reduzir o consumo de 34% para 17%,já que o cidadão sabe o mal que este produto faz.

Partindo da mesma premissa, mas com a união de todos os órgãos públicos, entidades de classe e filantrópicos, o movimento tenta sensibilizar as pessoas sobre o mal que a bebida faz,além de suas conseqüências. Ao buscar uma maior reflexão sobre os riscos e os malefícios, o momento Ação Franca pela Paz propõe um alerta ao usuário sobre seu futuro e a qualidade de vida que irá levar.

Augusto Soares de Arruda Neto chama a atenção da comunidade e faz um alerta para que todos busquem uma maior reflexão e vivências sobre os problemas relacionados ao uso do álcool e outras drogas, bem como, estimulá-la na busca de soluções para este problema em Franca.

Pelo fato de 90% dos crimes registrados na cidade ter relacionamento com drogas, Augusto Arruda chama atenção ainda para os malefícios à saúde que o cidadão incorre ao utilizar qualquer tipo de droga. “Trata-se de um problema grave, complexo, multifatorial e de dificílima solução. Além de se desdobrar no aumento dos índices de violência urbana na cidade”, ponderou.

Ao falar sobre o grupo de atuação, o médico Ronaldo Jacinto Mendonça (Centro Médico de Franca), destaca que o trabalho vem sendo analisado com profundidade de resultados com grupos de médicos, psicólogo, pedagogos, assistentes sociais, promotores de justiça, Polícia Militar e Civil, representantes das comunidades terapêuticas, grupos de ajuda voluntária e do COMAD, poder público, universidades, Regional de Ensino, corporações religiosas entre outros.
O presidente do COMAD – Conselho Municipal de Ação contra as Drogas – Aurélio Luís da Silva, ressaltou que as escolas estão envolvidas no projeto, inclusive com concurso de redação. “A proposta é iniciar desde o ensino fundamental com programas de prevenção. E com o concurso relacionado ao assunto o estudante será um dissiminador contra as drogas”, ponderou.

AÇÃO

O Fórum optou por três associações (frentes de trabalho), ou seja, prevenção, tratamento e repressão. Por isso, entre os dias 7 e 12 de novembro irão promover a 1ª Semana de Trabalho coletivo de Prevenção às Drogas.

Na questão de prevenção técnicos das Secretarias de Educação e Saúde, sendo que sua proposta é maior esclarecimento aos pais. Na fase de tratamento, os membros da comissão pretendem propor maior esclarecimento dos pais em técnicos das secretarias quanto a repressão o conselho deve impor regras para repressão desde que a fiscalização mais rigorosa. Além disso, busca o progressivo engajamento de um maior número de setores da sociedade.
Fonte:ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)