Malefícios do cigarro são mais fortes entre os jovens

Em Tempo Online
Uma pesquisa realizada pelo Ministério da Saúde (MS) apontou que os jovens brasileiros estão começando a fumar cada vez mais cedo.

De acordo com o estudo, elaborado há três meses, 52,6% das meninas e pelo menos 48,1% dos meninos brasileiros de 13 a 15 anos já tiveram algum contato direto com o cigarro.

O médico cardiologista do Sistema Hapvida Saúde, Luiz Otávio de Souza Carvalho, disse que quanto mais jovem a pessoa começa a fumar, maiores serão os malefícios do cigarro na sua vida.

“Fumando a partir da primeira fase da juventude, o paciente tem muito mais chances de desenvolver doenças crônicas antes mesmo dos 30 anos”, alertou.

O médico ressaltou ainda que a probabilidade de um jovem fumante abandonar o trabalho ainda na fase produtiva é grande, por conta do acúmulo de doenças causadas pelo cigarro.

“Isso gera prejuízos não apenas para a saúde do paciente, mas grandes encargos para o governo e um stress absurdo para a família inteira, que precisa buscar outra maneira de se sustentar”, exemplificou.

Além disso, como está em processo de formação da personalidade, a possibilidade de se largar o vício é cada vez mais difícil.

Ainda assim, é alto o número de pessoas que conseguiram abandonar o vício, segundo o especialista. “É algo realmente difícil, mas não é impossível. Uma ajuda profissional é fundamental para que o ex-fumante obtenha sucesso em deixar o cigarro”, explicou.

A Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) tem reforçado a assistência às pessoas que desejam parar de fumar, com a ampliação do número de Ambulatórios de Tratamento de Fumantes.

Atualmente, já são 11 ambulatórios do tipo, com o serviço especializado, que oferece acompanhamento multiprofissional, com médico, psicólogo, fisioterapeuta, enfermeiro, nutricionista, odontólogo e assistente social.

O tratamento é feito em grupo, por meio da terapia cognitivo-comportamental. Dependendo do quadro clínico, o paciente recebe, inclusive, a medicação de suporte.

Informações sobre o serviço podem ser obtidas por meio do Disk Saúde 0800 280 8280.
Fonte:ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)