Brasileiros Indignados

Lamentavelmente o Brasil – com aproximadamente seis milhões de dependentes e cerca de dois milhões de óbitos – está perdendo essa difícil luta contra as drogas. Os dados são alarmantes e demonstram que a situação está totalmente fora do controle, atingindo todas as classes sociais.

A indignação decorre da incontestável dificuldade das autoridades para conter o tráfico e a população das chamadas cracolândias espalhadas em todo o país. Em pouquíssimo tempo o resultado será catastrófico se não houver a conscientização dos nossos governantes e a mobilização de toda sociedade civil para encarar e enfrentar o problema com muita coragem.

A força destrutiva do crack compromete a capacidade crítica e a noção da realidade dos seus usuários. Essa droga na síndrome de abstinência gera incontrolável violência, podendo o viciado matar seu próprio familiar para conseguir comprar a droga por um, cinco ou dez reais.

A gravidade da situação – passados mais de 20 anos desde a primeira apreensão de crack no Brasil – configura um enorme desafio para a sociedade, que deve olhar de frente para o problema e tentar recuperar as vidas que, a continuar assim, estão em situação de risco, cujo destino final é a morte.

Estudo da Confederação Nacional dos Municípios revela que o Crack já chegou em 90% dos municípios brasileiros. É a droga mais presente nos municípios paulistas e já supera o álcool em número de atendimentos em cidades pequenas.

Diante da dificuldade do problema, a Comissão de Estudos Sobre Educação e Prevenção de Drogas e Afins da OAB/SP – que está comemorando um ano de luta e do lançamento da Campanha contra o Uso Abusivo de Álcool pelo Adolescente – está lançando o Movimento “BRASILEIROS INDIGNADOS COM O AVANÇO DO CRACK E DAS DROGAS”.

Estamos certos que o enfrentamento às drogas somente será possível com a formação de um verdadeiro mutirão pela vida e com o apoio da sociedade civil.

CID VIEIRA DE SOUZA FILHO – Conselheiro Seccional, Presidente da Comissão de Estudos Sobre Educação e Prevenção de Drogas e Afins e Vice Presidente da Comissão de Prerrogativas da OAB SP
Fonte:UNIAD – Unidade de Pesquisa em Álcool e Drogas