Uma parcela considerável de jovens da elite bebe em excesso

Em um levantamento realizado pelo Proad (Programa de Orientação e Atendimento a Dependentes), da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), verificou-se que:

1. Um quarto dos jovens de 14 a 19 anos de escolas particulares de classes A e B de São Paulo, Brasília e Campinas mantém um consumo de álcool considerado de risco pela Organização Mundial da Saúde.

2. Dos jovens com vida sexual ativa (cerca de 70%), só 30% faz uso sistemático de camisinha.

3. Jovens que bebem com alguma regularidade (65% deles) tiveram uma média de quatro parceiros sexuais diferentes nos seis meses que antecederam a pesquisa. Alguns tiveram até oito parceiros no período.
Fonte:(http://www1.folha.uol.com.br/folha/cotidiano/ult95u95628.sh)
Fonte:CISA – Centro de Informações Sobre Saúde e Álcool