Projetos de lei preveem maior restrição às bebidas alcoólicas

Folha.com
DE SÃO PAULO

Em meio a mobilização nacional contra o fumo e o crack, projetos de lei apresentados por uma comissão especial da Câmara também defendem restrições especificamente ao consumo e à comercialização do álcool.

A informação é da reportagem de Johanna Nublat publicado na edição desta sexta-feira da Folha. A reportagem completa está disponível para assinantes do jornal e do UOL, empresa controlada pelo Grupo Folha, que edita a Folha.

De acordo com o texto, um desses projetos pretende limitar o horário de propagandas de bebidas de baixo teor alcoólico (cerveja e vinho) em rádio e TV entre 21h e 6h o que a lei determina hoje para bebidas com teor elevado.

Outro projeto quer proibir a venda de bebidas alcoólicas geladas fora de bares e restaurantes, a não ser o consumo seja feito no próprio estabelecimento. O terceiro determina a presença de advertências à saúde em rótulos de bebidas.

Em pesquisa feita pelo governo em 2006, 16,2% dos entrevistados por telefone nas capitais disseram ter bebido no mês anterior pelo menos quatro doses (mulheres) ou cinco (homens) na mesma ocasião. Em 2010, o índice passou para 18% no país, chegando a 21,2% no Nordeste.
Editoria de arte/Folhapress

Fonte:UNIAD – Unidade de Pesquisa em Álcool e Drogas