Cracolândia é lavada após mais uma ação da PM

Funcionários usaram jatos d´água para limpar ruas de área do centro

Policiais abordaram cerca de 150 pessoas e prenderam duas; à noite, rua voltou a ser tomada por viciados

Folha de São Paulo – VANESSA CORREA
DE SÃO PAULO
A gestão do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (PSD), iniciou o ano comandando mais uma intervenção na cracolândia, região do centro que rebatizou de Nova Luz.

Após operação contra traficantes que envolveu cem policiais militares, funcionários da limpeza urbana, 75 no total, realizaram uma grande limpeza no local, com direito a jatos de água e até trator com pá carregadeira.

Das 9h às 14h, os cerca de 2.000 usuários de crack que perambulavam pela rua Helvétia e se escondiam em seus prédios abandonados foram retirados dali por policiais.

Sobraram os montes de resíduos em decomposição acumulados nos prédios invadidos. No fim do dia, a prefeitura divulgou ter removido 7,5 toneladas de lixo.

Um dos objetivos da ação, que vai durar ao menos um mês, 24 horas ao dia, é “restabelecer a ordem urbana na região da Luz”, afirma nota divulgada pela polícia.

Nas últimas semanas, a passagem no local ficou interrompida com a aglomeração de pessoas, barracas improvisadas e lixo. Policiais no local diziam que o governo do Estado agiu em parceria com a prefeitura para garantir o “direito de ir e vir”.

Em julho de 2009, em ação parecida, prefeitura e governo do Estado anunciaram que manteriam 70 policiais militares 24 horas por dia nas ruas da região, além de agentes de saúde. Os agentes ficaram, mas a PM foi embora: dias antes da operação de ontem, só 12 atuavam na cracolândia.

Segundo a comandante da operação, capitão Leandra Pontes Dabague, a PM vai abordar pessoas que estiverem consumindo crack na rua e pode levá-las à delegacia para “levantar seu DVC”, jargão utilizado para definir antecedentes criminais. “O objetivo não é tirar da rua, é combater o crime”, afirmou.

Segundo a polícia, 150 pessoas foram abordadas ontem. Além disso, 15 veículos e quatro estabelecimentos comerciais foram fiscalizados.

A polícia prendeu duas mulheres em flagrante, com cem pedras de crack. Elas carregavam duas armas de brinquedo. Outras seis pessoas foram levadas para a delegacia e, depois, liberadas.

Foram apreendidos pedaços da carenagem e peças de ao menos duas motos, dois receptores de TV a cabo e a frente de um toca-fitas de carro, além de objetos como isqueiros e cachimbos, usados no consumo do crack.

À noite, apesar da presença policial, a região permanecia tomada por viciados.
Fonte:UNIAD – Unidade de Pesquisa em Álcool e Drogas