fbpx

Programa de diversificação reduz a produção de tabaco no RS

G1
Quantidade de fumo produzida deve cair 20% nesta safra em Dom Feliciano. Cento e cinquenta produtores começaram a investir em outras culturas.

Um projeto do Ministério do Desenvolvimento Agrário quer ajudar os produtores de fumo a terem mais opções de cultivo. Muitas famílias de Dom Feliciano, no Rio Grande do Sul, que dependiam do tabaco diversificam a produção.

O fumo, que é a principal fonte de renda do município, corresponde a 86% do PIB agrícola. Dom Feliciano aderiu ao programa de diversificação e está reduzindo a produção de tabaco. A quantidade deve cair 20% nesta safra.

“Nós buscamos o apoio do Ministério do Desenvolvimento Agrário e hoje temos cerca de um milhão de reais aplicados em programas de diversificação do município. Damos toda a assistência técnica que o agricultor precisa juntamente com a Emater e orientamos tanto na questão técnica de produção quando na questão de mercado”, explica Clênio Boeira da Silva, prefeito de Dom Feliciano.

Dos 2,5 mil produtores de fumo de Dom Feliciano, 150 começaram a investir em outras culturas. Depois que começou a plantar frutas e legumes, a produção de fumo da família do agricultor Isauro Estanieski caiu pela metade. Há 40 anos investindo no tabaco, o produtor diz que a cultura exige muito agrotóxico. Ele, que também reclama que muitas vezes se sentiu mal durante a lida no campo, está decido a trocar de cultura.

A prefeitura de Dom Feliciano estima que em cinco anos, mil famílias tenham diversificado as lavouras nas propriedades.
Fonte:ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)