Blitze da Lei Seca terão mais mobilidade no Grande Recife

Seis vans e seis ginchos vão permitir mudanças rápidas de local.
Ação também ficará atenta ao Twitter, contra usuários que divulgam blitze.

Do G1 PE
A Operação Lei Seca ganha, a partir desta sexta-feira (10), o apoio de doze veículos, sendo seis guinchos e seis vans informatizadas, para aumentar a fiscalização nas vias da Região Metropolitana do Recife. O objetivo da coordenação da ação no estado é dobrar o número de pontos de bloqueio e agilizar o processo para autuar os condutores infratores ou liberar os que estiverem dentro da lei.

O coordenador da Operação Lei Seca em Pernambuco, o major André Cavalcanti, lembrou que, além da mobilidade alcançada pelas vans, que podem mudar de lugar rapidamente, a aquisição de computadores vai otimizar o trabalho dos agentes. “Essa informatização vai agilizar o atendimento ao condutor durante a abordagem. Se estiver tudo certo e não tiver nenhuma notificação para ser extraída, ele vai passar oito minutos no máximo. Então, com a entrada da informatização e das vans, a gente vai dar maior mobilidade à operação. Antes, tudo era feito na mão. Os servidores tinham que escrever bastante, porque tinham que fazer a estatística de tudo que estava acontecendo”, contou.

Outro grande reforço com a aquisição dos veículos será a mudança, principalmente durante a noite, constante do local das blitze. “Essa nova forma de atuação da Operação Lei Seca, com vans e guinchos, está dando maior mobilidade para o plano. Na noite, ao invés de fazer seis pontos, podemos fazer doze pontos. Se a gente perceber que o fluxo está pequeno, a mudança ocorre rapidinho”, falou o major André Cavalcanti.

Apesar da boa adaptação dos motoristas à Lei Seca, segundo a Secretaria de Saúde, a ação contra os condutores que misturam álcool e direção também está preocupada e focada em combater a divulgação dos locais das blitze na internet. Os internautas, principalmente os usuários do Twitter, criam perfis que divulgam a localização exata dos agentes fiscalizadores no Grande Recife. “Está cada vez mais forte na população que álcool e direção não combinam. As demonstrações durante as blitze de apoio à operação tem sido uma constante. Vamos ampliar com as vans para poder também fugir daquelas pessoas que trabalham conta a Lei Seca através dos tweets. Quando detectado, primeiro o Ministério Público entra e a gente, automaticamente, muda de local”, contou o secretário de Saúde de Pernambuco, Antônio Carlos Figueira.

Os motoristas que ingerirem álcool e forem detectados pela Lei Seca recebem multa. Se a taxa indicada no bafômetro for maior do que 0,34, o que é equivalente a aproximadamente três latas de cerveja, além da punição administrativa, o condutor terá a carteira de habilitação apreendida e terá que trazer uma pessoa apta para assumir a condução do veículo enquanto é autuado na delegacia.
Fonte:UNIAD – Unidade de Pesquisa em Álcool e Drogas