Lei proíbe venda do narguilé para os menores de 18 anos

Pelo menos no DF, a caça ao tabaco e seus derivados está decretada. A lei que proíbe a venda e o uso do cachimbo conhecido como narguilé para menores de 18 anos foi sancionada pelo governador em exercício, Tadeu Filippelli (PMDB), e publicada no Diário Oficial de ontem. A proibição será regulamentada nos próximos 60 dias. Assinada pela distrital Liliane Roriz (PSD), a proposta tem como objetivo a redução do uso do tabaco, bem como seus derivados. “Vivemos em um momento mundial de grande consciência contra o fumo e toda a forma de combater esse vício tem grande valia”, explicou a parlamentar.

Liliane afirma que a liberação do uso e da venda do narguilé no Distrito Federal abria uma brecha para que menores fossem introduzidos ao vício, mesmo que não fosse por meio do cigarro. “Agora a fiscalização será ainda maior. Respeitamos a cultura de outros povos, mas precisamos primar primeiramente pela saúde da população”, emendou. Mesmo visto como moda entre adolescentes, o narguilé é hoje considerado um grande vilão quando o assunto é alimentar o vício ao tabaco. Uma pesquisa britânica afirma que o narguilé é muito mais prejudicial à saúde do que o cigarro. O estudo do Tobacco Control Collaborating Centre afirmou que as pessoas que fumam narguilé podem sofrer com os altos níveis de monóxido de carbono (CO).

Com a proibição, os estabelecimentos que utilizam o cachimbo ficarão sujeitos às penalidades do Procon-DF e ainda do Estatuto da Criança e do Adolescente. As lojas e bares terão ainda que afixar placa instrutiva sobre a proibição do uso e da venda do utensílio para menores de 18 anos. O narguilé é um cachimbo de água no qual o tabaco com aroma de frutas é queimado, com o uso de carvão, passa por uma vasilha de água enfeitada e é fumado por meio de uma mangueira. Ele é tradicionalmente utilizado em muitos países do mundo, em especial no Norte da África, Oriente Médio e Sul da Ásia.
Autor: Daniel Guerra
OBID Fonte: Redação Jornal Coletivo