Atraso em nome da Copa

Folha Universal
Álcool pode ser liberado nos estádios brasileiros já em março. A intenção é que a venda continue após o Mundial.

Em abril de 2008, a Confederação brasileira de Futebol (CBF) fez questão de divulgar o acordo com o Conselho Nacional dos Procuradores-Gerais da Justiça (CNPG) que proíbe a venda de bebidas alcoólicas nos estádios. Na ocasião, o presidente da entidade, Ricardo Teixeira, disse: “Com a proibição de venda de bebidas alcoólicas, pretende-se reduzir substancialmente a violência nos estádios”.

Agora, com a mudança no estatuto do torcedor, necessária para a liberação da Lei Geral da Copa, prevista para março, todo o esforço pode ir por água abaixo. A venda de bebidas alcoólicas deverá ser liberada em todos os estádios do País já no mês que vem e pode continuar inclusive após o Mundial. A Fifa já garante a venda de álcool durante a Copa de 2014 e tem o consentimento do mesmo Ricardo Teixeira e do relator da Lei Geral da Copa, o deputado federal Vicente Cândido (PT-SP).

Para Carlos Salgado, psiquiatra e conselheiro da Associação Brasileira de Estudos do Álcool e Outras Drogas (Abead), a medida é um retrocesso. “Será um equívoco depois de décadas de luta contra a associação de esporte e bebida. Sem contar que é contra a vontade da população, pois 48% dos brasileiros não bebem”, disse. “Dá para associar álcool e violência. O indivíduo responde impulsivamente depois de algumas doses e pode agir violentamente”, garante Salgado.
Fonte:ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)