Especialistas de Ribeirão falam dos perigos de ingerir álcool e remédios

G1
Mistura é prejudicial inclusive para quem usa medicamentos para resfriados. Dependente relata que tem distúrbios motores, respiratórios e psiquiátricos.

A mistura de bebidas alcoólicas e medicamentos, usada por jovens em festas pode trazer graves problemas de saúde.

Segundo a doutora em farmácia Julieta Ueta, de Ribeirão Preto qualquer substância que atue no sistema nervoso central misturado ao álcool podem ter efeitos negativos. “Não significa que todos vão dar, mas é necessário estar atento sobre as quantidades e a sensibilidade de cada pessoa”, disse.

No caso de medicamentos com efeito calmante como os ansiolíticos que tratam insônia ou anti-histamínicos, utilizados para alergias ao serem misturados à bebidas com álcool pode potencializar o efeito depressivo, perda de coordenação motora, podendo chegar a sedação, com risco de uma parada respiratória.

A mistura de álcool com anfetaminas usadas para emagrecer aumenta a pressão sanguínea e pode alterar o ritmo do coração. A combinação é perigosa inclusive para quem utiliza remédios para gripe ou dor de cabeça, por prejudicar o efeito dos antibióticos e no caso dos antiinflamatórios pode irritar o estômago. Segundo o psiquiatra Cristiano Moura, muitos usuários relatam sentir uma depressão intensa após utilizar a combinação, que tem um efeito que dura horas.

O açougueiro Cleiton Camargo utilizou a mistura várias vezes e se tornou dependente. Atualmente, ele faz tratamento em uma clinica e tem problemas motores, dificuldade para respirar e distúrbios psiquiátricos “ Espero alcançar outras pessoas para que elas não caiam na mesma besteira que eu caí”, diz.
Fonte:ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)