8 mil pessoas contra o crack

Diário do Nordeste
Tendo em vista os malefícios que o crack traz à sociedade, mais de oito mil pessoas se reuniram em uma grande manifestação contra a droga, neste Município da região Norte do Ceará.

A Cruzada pela Paz, que ocorreu no fim de semana, na Avenida Beira-Mar, foi patrocina pelo empresário Izaías Junior e coordenada pelo pastor Freud Macedo.

A manifestação recebeu apoio de dezenas de igrejas evangélicas e do Instituto Filadélfia, que gerencia a campanha “Crack, Tô Fora”, em Sobral. “Esta foi a maneira que encontrei para agradecer a Deus pelas bênçãos que tenho recebido, proporcionar um movimento desse porte na minha cidade natal, sem interesses políticos”, comentou Izaías Junior.

Wellington Macedo, coordenador da campanha contra o crack em Sobral, falou da importância do evento em Camocim e pediu mais empenho dos gestores no que diz respeito à criação de políticas públicas para enfrentar o problema que já é evidente no Interior do Estado.

Camocim já sofre com as consequências do uso do crack. A procura da juventude é grande, segundo informações de moradores. Por isso, ainda na manhã de sábado, cerca de 200 jovens também participaram de uma caminhada contra a droga. Dezenas de faixas com frases de protesto alertavam a população sobre os malefícios do crack.

Conscientização

Após o protesto, os jovens se dividiram em vários grupos e visitaram centenas de residências. Eles realizaram um trabalho de conscientização, distribuindo panfletos e convidando a sociedade para a Cruzada pela Paz.

O público louvou a Deus ao som das músicas da cantora gospel Jozyanne Oliveira, do Rio de Janeiro. O cantor cearense Ronaldo A. Bezerra também participou do evento. Mais de 100 bíblias foram distribuídas.

O projeto “Crack, Tô Fora!” é uma ação preventiva, educativa e de acompanhamento dos dependentes e de seus familiares. Envolve todos os setores sociais, empresas privadas e profissionais de saúde. Dentro do projeto, que busca contemplar todo o Ceará, acontecem workshops abordando o tema, peças teatrais, intervenções públicas, distribuição de cartilhas educativas, dentre outras atividades.
Fonte:ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)