Amnésia alcoólica pode ser explicada por diferença na atividade cerebral

Depois de uma noite de bebedeira muita gente precisa de ajuda para lembrar dos fatos da noite anterior. Segundo um novo estudo, algumas pessoas são mais suscetíveis a terem lapsos de memória, e isso ocorre não devido à quantidade de bebida ingerida, mas por alterações na atividade cerebral.

Os pesquisadores descobriram que as respostas cerebrais de pessoas que costumam ter “blackouts” ao beberem eram diferentes na parte relacionada à memória e à atenção, quando comparadas às de quem não tem amnésia alcoólica.

Vinte e quatro estudantes universitários que tomavam cinco drinques por noite, pelo menos de duas a três vezes na semana, participaram do estudo e foram separados em dois grupos. Um deles tinha histórico de esquecer o que havia ocorrido na noite anterior, enquanto o outro grupo nunca tinha passado pela experiência.

Os cérebros dos estudantes foram observados enquanto eles faziam testes de memória – sóbrios e também depois de terem bebido.

Em relação aos sóbrios, o resultado do teste foi similar para os dois grupos. No entanto, após o consumo de duas cervejas os resultados foram bem diferentes. No grupo que sofre amnésia alcoólica a atividade era diminuída na área do cérebro responsável por transformar as vivências em memórias.
Autor:
OBID Fonte: UOL