Alagoas firma adesão ao programa Crack: É Possível Vencer

Alagoas 24 horas
Três ministros estarão em Alagoas nesta terça (27) para lançar, junto com o governador Teotonio Vilela Filho e o prefeito de Maceió, Cícero Almeida, o programa federal Crack: É Possível Vencer.

A solenidade está marcada para as 15h, no Teatro Gustavo Leite, no Centro Cultural e de Exposições Ruth Cardoso. Participam da solenidade os ministros da Saúde, Alexandre Padilha; da Justiça, José Eduardo Cardozo; e do Desenvolvimento Social, Tereza Campello.

A programação terá início às 11h, quando o governador Teotonio Vilela e o secretário de Estado da Defesa Social, Dário Cesar, farão a entrega dos cheques de bonificação aos policiais que apreenderam armas e drogas.

A vinda dos ministros foi anunciada ao governador Teotonio Vilela no último dia 15, durante audiência, em Brasília, com o ministro da Saúde, Alexandre Padilha.

Lançado em dezembro de 2011 pela presidenta Dilma Rousseff, o programa Crack – É Póssível Vencer prevê o investimento de R$ 4 bilhões em ações integradas voltadas à prevenção do uso de drogas, ao cuidado e tratamento dos usuários e à repressão ao tráfico de drogas. O volume de recursos e as ações que serão executadas, dentro do programa, em Alagoas, serão anunciados na terça-feira (27).

O Estado de Alagoas será um dos primeiros a firmar a adesão ao programa federal, em função do trabalho de acolhimento de dependentes químicos desenvolvido pelo Governo, por meio da Secretaria de Estado da Promoção da Paz (Sepaz). O governo federal estuda a inclusão da metodologia de acolhimento implantada em Alagoas no programa nacional, que inclui ações de repressão ao tráfico, de prevenção e tratamento dos dependentes químicos e de proteção social.

Entre as primeiras medidas que envolvem o programa, devem ser anunciados recursos para investimentos em segurança pública, para identificação das áreas de uso de drogas, através de videomonitoramento e aquisição de equipamentos. Somando-se a rede de acolhimento em atividade no Estado às novas unidades que serão implantadas pelo programa, Alagoas deverá contar, até o fim deste ano, com 45 unidades de atendimento aos dependentes e usuários de crack. Atualmente, o Estado investe R$ 12 milhões em acolhimento.

Levantamento da Sepaz aponta para a existência de 30 mil usuários de crack em Alagoas, sendo 10 mil só na Região Metropolitana de Maceió. A rede de acolhimento de Alagoas conta com 31 instituições e oferece cerca de 800 vagas para os dependentes do crack, mas o Governo quer expandir essa oferta, de modo a oferecer, até o final deste ano pelo menos 1.110 vagas em comunidades acolhedoras. Só nos últimos 18 meses, foram mais de dez mil atendimentos a usuários da droga.

A gestão do programa contra o crack será feita em Alagoas pelos secretários da Defesa Social, Dário César, no âmbito da segurança pública e da repressão ao tráfico de drogas; da Saúde, Alexandre Toledo, no tratamento clínico e na redução de danos aos dependentes químicos e de Promoção da Paz, Jardel Aderico, no que diz respeito ao acolhimento terapêutico e à reinserção social dos usuários de drogas.
Fonte:ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)