Fortaleza apresenta a menor taxa do Nordeste

Diário do Nordeste
Apesar disso, a ingestão exagerada de bebidas alcoólicas preocupa e provoca doenças como cirrose hepática.

Um levantamento do Ministério da Saúde apontou Fortaleza como a capital nordestina com o menor percentual no consumo abusivo de álcool. Dos cerca de dois mil entrevistados, 17,3% admitiram consumir abusivamente bebida alcoólica. Os números são da pesquisa Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel 2011), que ouviu 54 mil adultos em todas as capitais e no Distrito Federal entre os meses de janeiro e dezembro do ano passado.

Apesar do dado positivo, o álcool ainda é considerado motivo de preocupação, como apontou uma pesquisa do perfil de usuários que acessam os serviços dos Centros de Atenção Psicossocial (Caps-AD), realizada em 2011 pela Coordenação de Saúde Mental, Álcool e outras drogas da Secretaria Municipal de Saúde (SMS). De acordo com o levantamento, 88,6 % dos pesquisados necessitaram de assistência pelo uso do álcool.

“Os Caps-AD são responsáveis por atender cerca de três mil pacientes por mês”, afirma Rane Felix, coordenadora de Saúde Mental da SMS. Segundo ela, a bebida ainda é causadora de muitos problemas de saúde, como a cirrose hepática, por exemplo, além de ser grande causadora de acidentes de trânsito.

A coordenadora afirma ainda que, por mais que se aumente a rede de assistência ao dependente de álcool, o ideal também é trabalhar cada vez mais com a prevenção contra o consumo da bebida, para diminuir o percentual ainda mais. “Ainda é um problema muito grave”, conclui.

A pesquisa do Ministério da Saúde mostra também que o consumo abusivo de álcool, considerado a ingestão, em uma mesma ocasião, de quatro ou mais doses para mulheres e cinco ou mais para homens, foi maior entre as pessoas com mais de 12 anos de estudo do que entre os entrevistados que estudaram até oito anos, atingindo total de 20,1% e 15,9%, respectivamente.

Conforme o levantamento, a frequência do consumo no período de 30 dias foi de 17%, considerando a população geral, sem distinção de sexo. Entre os homens, os números são quase três vezes maior, 26,2%, do que em mulheres, 9,1%. Os números também diferem em relação à idade. A maior incidência de ingestão exagerada de álcool foi em jovens entre 18 e 24 anos, um total de 20,5%. Na população com idade igual ou superior a 65 anos a proporção é de apenas 4,3%. Em relação às diferenças por sexo, observou-se que o percentual de homens com idade entre 18 a 24 anos chega a 30,3%, quase três vezes mais se comparado às mulheres na mesma faixa etária, 11,5%.

Tabagismo

O Ministério revelou, também por intermédio da Vigitel, que o número de fumantes no Brasil permanece em queda, atingindo, pela primeira vez, um percentual abaixo de 15%. A cidade de Fortaleza ocupa o quinto lugar entre as capitais nordestinas com o maior número de usuários de tabaco, com 10,3% dos entrevistados admitindo o consumo, e o 19º lugar no ranking nacional.

O primeiro lugar no Nordeste ficou com Teresina, no Piauí, e, no País, a cidade de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, tem o índice mais alto, com 22,6%. De acordo com a pesquisa, passou de 16,2% para 14,8 % o percentual de fumantes no Brasil, do ano de 2006 a 2011. A incidência de homens nesse mesmo período diminuiu a uma taxa de 0,6% ao ano.

Apesar de o número de fumantes continuar maior entre os homens (18,1%) do que nas mulheres (12%), o levantamento mostra que são eles que lideram a redução do hábito de fumar entre os brasileiros, pois um quarto declarou ter abandonado o vício, um total de 25%.

Essa queda no consumo entre os homens foi constatada em todas as faixas etárias e independentemente da escolaridade. A pesquisa aponta também que a quantidade de pessoas que largam o cigarro aumenta com a idade. A frequência de ex-fumantes é quase cinco vezes maior para homens acima de 65 anos (52,6%) e nas mulheres entre os 55 e 64 anos, um total de 30% da população feminina.
Fonte:ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)