Álcool agrava o quadro de úlcera

Folha Noroeste
No Brasil, existem aproximadamente quatro milhões de pessoas com úlcera. Quem sofre desta patologia e faz o uso do álcool, piora o quadro clínico.

“O álcool não causa ulceras diretamente, mas as agrava, pois é uma lesão em forma de cratera que ocorre no estomago ou no duodeno, causada por um desequilíbrio entre produção de ácido clorídrico exagerada com diminuição das defesas do estomago”, afirma o Dr. Roberto Rizzi, gastroenterologista do Hospital Santa Cruz, São Paulo.

Crises de dor acima do umbigo e vômitos são sintomas da doença. “Estas crises podem durar dias ou semanas. Entre as crises, o paciente pode passar meses levando uma vida normal”, confirma o especialista. O diagnóstico é feito através do exame de Endoscopia Digestiva Alta com Pesquisa de Helicobacter Pylori.

Para o tratamento desta enfermidade, o uso de medicamentos que diminuem a produção de acido clorídrico é fundamental. Em alguns casos, é preciso intervenção cirúrgica, porém, o especialista alerta que este tipo de tratamento é raro. “Procedimentos cirúrgicos são necessários quando ocorrem à perfuração ou a obstrução duodenal”, salienta.

Estresse, a ansiedade, o excesso de trabalho e o tabaco são causas para a doença. “Acredita- se que em pessoas com predisposição genética a presença de uma bactéria chamada Helicobacter Pylori seja fundamental, outros fatores desencadeantes é o uso de medicamentos antiinflamatórios, do café e distúrbio semocionais”, enfatiza o médico.

Segundo o gastroenterologista, alguns fatores contribuem para o desenvolvimento da doença. “É preciso mudar alguns hábitos. Evitar fumar, o consumo de álcool, jejum prolongado e nervosismo deixam as pessoas mais suscetíveis a ter úlcera”, completa o especialista.
Fonte:ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)