Polícia Federal em Marília deflagra: Operação Trovão

A atividade desenvolvida pela organização criminosa consiste na introdução em território nacional de maconha e cocaína adquiridas no Paraguai. A droga ingressa pelo Mato Grosso do Sul, na fronteira terrestre envolvendo Ponta Porã e Pedro Juan Caballero. O transporte se dá por meio de automóveis de passeio, de transporte de carga e também de forma pessoal, seja através de bolsas ou ingeridas por via oral. Já em nossa região, a droga era entregue a outros membros que cuidavam de guarda e distribuição. Outros pontos identificados como destino da droga seriam: São Paulo e Bahia.

A conhecida “rota caipira do tráfico” era utilizada pela Organização Criminosa para o transporte da droga, passando pelas regiões de Assis, Tupã e Marília.

Em decorrência das investigações, foram formalizadas 07 flagrantes que resultaram na prisão de 11 pessoas e a apreensão de quase 1t de maconha, uma arma de calibre restrito, aproximadamente 10Kg de cocaína, além da identificação de uma célula anexa à principal, responsável pelo cometimento reiterado de assaltos à sacoleiros que trafegam nas rodovias que cortam o interior de São Paulo.

Origem do termo: segundo estudiosos da mitologia tupi, Tupã seria um ente desconhecido que troveja e mostra seu poder pelo raio. Assim, tupã nada mais era do que o som gerado por descargas elétricas atmosféricas, ou seja, trovão.

O epicentro da Organização Criminosa, núcleo da investigação, está na cidade de Tupã, de onde derivou o nome da operação.

Mais de 160 Policiais Federais cumprem hoje (19/04/2012) 31 mandados de busca e 8 mandados de prisão, distribuidos ao londo de 4 estados (São Paulo, Rio de Janeiro, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul), objetivando desarticular a Oganização Criminosa e coletar o maior número de provas para instrução dos Inquéritos e Processos decorrentes.

A Divisão de Comunicação Social da DPF/MII/SP receberá a imprensa em sua sede, as 10h00, para esclarecimentos adicionais e apresentação de resultados complementares decorrentes do cumprimento dos mandados.

Fonte: Comunicação Social DPF/MII/SP